quarta-feira, 10 de novembro de 2010

HOSPITAIS PROMETIDOS POR ROSEANA SARNEY CONTINUAM SOLENEMENTE NO PAPEL

Na terça-feira (9), o Brasil acordou com a notícia sobre a barbárie que teve lugar no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Rebelados, os presos, que reclamam da lentidão da Justiça local, aproveitaram o motim para acertar contas e acabaram fazendo 18 mortos e alguns reféns.

Dona de incompetência conhecida, a governadora Roseana Sarney (PMDB), que por muito pouco não viu naufragar o seu projeto de reeleição, adotou um estranho e obsequioso silêncio. Provavelmente porque na terra do arroz de cuxá a Justiça só funcione para os integrantes e apaniguados do clã político que há mais de cinco décadas domina politicamente o mais pobre estado brasileiro.

Enquanto, encastelada no Palácio dos Leões, sede do Executivo maranhense, Roseana Sarney se apequena diante do caos que tomou conta do sistema prisional do estado, muitas das promessas feitas durante a campanha eleitoral ainda não foram cumpridas.

Quando, por decisão da Justiça Eleitoral, Roseana Sarney, propulsada por inverdades de todos os matizes, arrancou a governança do Maranhão das mãos de Jackson Lago (PDT), as promessas de campanha retomaram a respectiva validade. E uma delas foi a construção de 72 hospitais até o final do presente mandato. Faltando 51 dias para o fim do governo, nem mesmo 10% do que foi prometido saiu do papel – apenas o hospital de Lago dos Rodrigues foi entregue, com falha nos equipamentos e insuficiência de pessoal.

Como se sabe, ao clã Sarney pouco importa a qualidade da Saúde que está disponível aos maranhenses, pois a família, quando adoece, embarca em jatinhos de amigos interesseiros e aterrissa em São Paulo para tratamentos médicos nos melhores hospitais do país. (Ucho Info)

John Cutrim/JP

0 comentários:

Postar um comentário