quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

27 TRABALHADORES DO MA EM CONDIÇÃO DE ESCRAVOS EM SP

Três empreiteiros foram presos na terça-feira (22) em Campinas, acusados de manter 27 trabalhadores em condição análoga à escravidão.

Os trabalhadores, oriundos do Maranhão, estavam em Campinas desde o último domingo para trabalhar na construção de um loteamento de casas populares.

Eles haviam sido aliciados na cidade de Gonçalves Dias, com a promessa de que receberiam o pagamento em Campinas. Para poder embarcar, cada um teve de pagar R$ 230 pela viagem em um ônibus clandestino.

O grupo foi localizado por agentes da Guarda Municipal de Campinas após uma denúncia anônima, nas instalações de uma panificadora abandonada, no bairro Jardim Florence I.

Os trabalhadores recebiam apenas uma refeição por dia, estavam sem água tratada e dividam apenas um banheiro. Muitos dormiam no chão.

O proprietário, o gerente e um mestre de obras da empreiteira FKRJ foram presos pela Polícia Federal. Eles irão responder pelo artigo 149 do Código Penal (Redução a Condição Análoga a de Escravo), com pena de 2 a 8 anos de reclusão e multa. A empresa que contratou a FKRJ também pode ser responsabilizada.

A reportagem da Folha não conseguiu localizar os advogados dos empreiteiros.

GUILHERME VOITCH DE SÃO PAULO

0 comentários:

Postar um comentário