quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

BNB TEM 150 MILHÕES PARA AGRICULTURA FAMILIAR

O Banco do Nordeste disponibilizará R$ 150 milhões para agricultores familiares maranhenses em 2011. Concedidos no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), os recursos destinam-se a investimento ou custeio de atividades rurais, sendo os financiamentos à pecuária de leite e de corte, pesca artesanal, e para cultivo de arroz, milho, feijão e mandioca os mais procurados no Estado.

Em 2010, mais de 45 mil contratos do Pronaf foram firmados pelo BNB no Maranhão. A grande maioria, cerca de 40 mil operações, deu-se no âmbito Agroamigo, programa de microcrédito rural do Banco, que contempla agricultores com renda anual de até R$ 6 mil, excluídos os benefícios previdenciários.

Por meio do Agroamigo, os produtores rurais enquadrados fazem jus à taxa de juros de 0,5% ao ano, prazo de carência de até dois anos e bônus de adimplência de 25% sobre juros e principal. Na prática, uma operação contratada com o valor de R$ 2 mil pode ser liquidada por pouco mais de R$ 1,5 mil, caso seja paga até o vencimento.

Pronaf A - Os valores aplicados pelo BNB com o Pronaf em 2010 superaram em 45% os contratados no exercício anterior. De acordo com a gerente executiva da Superintendência Estadual do BNB, Ana Zélia Queiroz, o crescimento foi carreado principalmente pela evolução de duas linhas de crédito: Pronaf A, voltado para assentados da Reforma Agrária, e Mais Alimentos, aposta do Governo Federal para financiar máquinas e equipamentos para pequenos produtores. Juntas, essas operações somaram R$ 61 milhões no ano passado.

"Sobre a evolução dessas carteiras, considero que os assentamentos estão mais estruturados e isso favorece a concessão dos créditos e o desenvolvimento de atividades produtivas. Com relação ao Mais Alimentos, trata-se de uma oportunidade para os agricultores incrementarem a produção, comprando o maquinário adequado, com juros reduzidos e prazos que vão até 10 anos", esclareceu a superintendente. Ainda sobre o Mais Alimentos, o limite de crédito do programa é de até R$ 130 mil.

Mais
Para ter acesso ao Programa Nacional de Agricultura Familiar, o produtor rural precisa estar de posse do Documento de Aptidão ao Pronaf (DAP), emitido por entidades como Sindicato de Trabalhadores Rurais, Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp) e Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). A DAP leva em conta fatores como renda e tamanho da propriedade para classificar o agricultor familiar em um dos grupos do Programa.

Com informações do NOCA

0 comentários:

Postar um comentário