quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

SARNEY E OS CARGOS ESTRATÉGICOS DO SENADO

 O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), decidiu trocar o diretor-geral da Casa e outros cargos estratégicos na área administrativa e pôr pessoas de sua confiança nessas vagas. As mudanças podem atingir 20 cargos.

Sarney já convidou Doris Marize Peixoto para a Diretoria-Geral. Ela trabalhou como chefe de gabinete de Roseana Sarney no Senado até 2009, quando saiu para a diretoria de Recursos Humanos.

O atual diretor foi indicado para o cargo pelo ex-senador Heráclito Fortes (DEM-PI), que não se reelegeu, no momento em que Sarney estava enfraquecido com uma sucessão de escândalos na Casa. Agora, a vaga volta a ser controlada por Sarney.
Cabe ao diretor-geral definir nomeações na área administrativa, contratos e pagamentos da Casa.

A indicada de Sarney entrou no Senado em 1984 no chamado "trem Dala" - referência ao "trem da alegria" feito pelo ex-senador Moacyr Dala, que também levou ao Senado Agaciel Maia e dezenas de servidores sem concurso.

Agaciel ficou na diretoria por 14 anos, apoiado por Sarney, e só deixou o cargo após a revelação de que ele não registrou uma mansão de R$ 5 milhões em Brasília.
Também na Diretoria-Geral foram editados os chamados "atos secretos", por meio dos quais Sarney e seus colegas nomearam parentes.

Agaciel tentou emplacar um aliado na Diretoria-Geral: Sebastião Fernandes Neto, o Tião.

Câmara - Tião perdeu força após a imprensa divulgar o apoio.

Agora, Agaciel tenta fazer dele o novo diretor da Gráfica do Senado. A Folha apurou que Sarney estuda duas opções: Tião ou Julio Pedrosa, ex-diretor da Gráfica.

Na Câmara também há mudanças. O presidente da Casa, deputado Marco Maia (PT-RS), nomeou na terça Sérgio Sampaio para o cargo de secretário-geral da Mesa.
Sampaio, até então diretor-geral da Casa, substitui Mozart Viana, que comandou a secretaria por cerca de 20 anos. O novo diretor-geral ainda não foi anunciado.

A secretaria é de extrema importância para o presidente. É responsável, por exemplo, pela distribuição de projetos às comissões e pela condução das votações.

Sérgio Sampaio foi secretário da Comissão de Constituição e Justiça da Casa e chegou à Diretoria-Geral em 2001, nomeado pelo então presidente do Senado, Aécio Neves (PSDB-MG).

Já Mozart Viana deixou o posto para assumir o comando do gabinete de Aécio Neves, no Senado. 

Integrantes da secretaria esperavam que alguém que já trabalhava lá dentro fosse escolhido.

ANDREZA MATAIS e
FILIPE COUTINHO
Da Folha de S. Paulo

0 comentários:

Postar um comentário