quarta-feira, 2 de março de 2011

INÍCIADA A GREVE DE EDUCADORES DO MA

Professores da rede estadual de ensino estão oficialmente em greve. Ontem nas ruas do Centro de São Luis, centenas de pessoas, entre professores, amigos e adeptos da causa, caminharam usando faixas e carros de som com mensagens diretas de repúdio e desaprovação à gestão da Educação. A concentração da passeata começou na Praça Deodoro e percorreu o Centro até o Palácio dos Leões. Lá bateram palmas, em comemoração à disposição da categoria, e chamaram pela presença da governadora, que não estava no palácio

Os professores decidiram entrar em greve após assembleia realizada na quarta-feira passada (23). O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma), Júlio Pinheiro, declarou ainda não saber exatamente quantas escolas aderiram à greve, por conta do movimento estar “apenas começando”, mas disse esperar uma adesão maciça da categoria até o fim da semana, parando boa parte das escolas estaduais de São Luis e do interior. A greve foi aprovada em 18 assembléias em diferentes cidades do Maranhão. A rede de ensino estadual conta com 46 mil professores, sendo 15 mil desses na capital.

O motivo principal da greve é a recusa do governo do estado em atender à pauta de 22 reivindicações do sindicato. Até ontem, só a reivindicação com relação à prorrogação da validade do concurso para professores realizado em 2009 foi atendida. Outras reivindicações, como aplicação de tabela salarial com base na Lei do Piso, aprovação do Estatuto do Educador – que foi acordado com o governo ano passado – e a criação de um plano estadual com participação dos professores, ainda não tiveram sinalização positiva por parte do governo.

Estatuto
Sobre o estatuto, Júlio Pinheiro explicou que texto foi aprovado, mas não a parte equivalente ao pagamento dos professores. Além disso, o Estado disse que só poderá aplicar a tabela salarial a partir de outubro, sendo que a categoria espera pela aplicação imediata.
Em outra nota divulgada ontem, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) declarou que “a implantação imediata do Estatuto do Educador é um compromisso do governo do estado. A garantia foi reafirmada na noite de segunda-feira (28) pela secretária de Educação, Olga Simão, durante uma reunião de trabalho com a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma), horas antes dos professores da rede estadual de ensino decidirem por entrar greve por tempo indeterminado”.

Além disso, o texto afirma que o governo do estado também se comprometeu a implantar de maneira rápida a tabela progressiva do aumento de salário da categoria, dentro dos prazos acordados, “desde que seja observada a realidade financeira e orçamentária do Estado”.

Daniel Fernandes/O Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário