quarta-feira, 2 de março de 2011

ROSEANA DEVE ENGESSAR CONCURSOS PÚBLICOS NO MA

Com a desculpa de que é preciso “cortar gastos” a presidente Dilma Rousseff paralisou a nomeação de candidatos aprovados em concursos e proibiu a realização de novos por tempo indeterminado. Semana passada a Roseana Sarney enviou uma proposta para a Assembléia Legislativa projeto que autoriza o governo a contratar servidores temporários para serviços essenciais do governo. É óbvio o que se articula por trás desta atitude.

Os deputados neto Evangelista (PSDB) e Marcelo Tavares (PSB) bateram forte na proposta. O jovem tucano afirmou que “os jovens maranhenses estão tendo de ir a muitos desses municípios poderem fazer apenas o curso de magistério pensando fazer o concurso público para professor do Estado do Maranhão e o concurso público ser proibido agora no Estado do Maranhão para que seja aberto um seletivo simplificado, pasmem, Senhores Deputados”.

Marcelo Tavares, que a cada dia reforça o papel de maior atuação contra o governo do Grupo Sarney, pegou mais pesado. “- Por isso que eu digo que essa Medida Provisória é do cão porque acaba com concurso público. E aí fala em qualificação, em honestidade.”, disse.

Para tentar desqualificar a óbvia preocupação dos dois, alguns deputados tentam dizer que uma coisa não possua relação com a outra. Caso do deputado César Pires que retrucou a argumentação dos colegas com a seguinte afirmação: “Não vi em nenhum minuto na Medida Provisória nada que diga que haja impeditivo legal ou que haja um sentimento do Governo de não fazer mais concurso público”.

César Pires e os que usam essa argumentação inócua devem achar que todo mundo no Maranhão é pateta. O Grupo Sarney não é conhecido por moralizar a máquina pública e muito menos por preservar a meritocracia. Vejam o caso de alguns deputados bobalhões que a cada 4 anos são eleitos com o aval do grupo.

César Pires deveria ser mais cauteloso em suas declarações. Já foi Magnífico Reitor da Uema, cargo teoricamente reservado a poucos, e argumentar como um ignorante é algo que não faz jus a sua honorável biografia.

Para se ir de encontro aos concursos não é preciso legislar diretamente contra eles, basta abrir uma brecha alternativa. Em suma, para colocar dentro da sala nem sempre é preciso entrar pela porta da frente. A lei do Governo Roseana está apenas deixando a janela aberta e um banquinho do lado de fora para quem quiser entrar…

Do Blog do José Linhares Jr./JP

0 comentários:

Postar um comentário