sábado, 5 de março de 2011

SÃO 11 AS CIDADES ALAGADAS NO MARANHÃO DOS SARNEY

Subiu para 11 as cidades maranhenses afetadas pelas chuvas. A Defesa Civil Estadual está vistoriando os municípios com equipes em campo e a distância. 

Subiu para 11 as cidades maranhenses afetadas pelas chuvas. São elas: Trizidela do Vale, Pedreiras, Arari, Bacabal, Cantanhede, Imperatriz, Itapecuru Mirim, Pirapemas, São Luiz Gonzaga do Maranhão, Timon e Vitória do Mearim. Segundo ao major Wellington Soares, da Defesa Civil Estadual, todas estas cidades estão em situação de emergência, embora só Trizidela do Vale tenha decretado tal estado, pelo menos até a tarde de ontem. A cidade permanece com o maior número de pessoas afetadas pelas enchentes.

Segundo informações da prefeitura, repassadas pelo governo do estado, são 1.500 famílias afetadas naquela cidade. Na segunda (7), barracas e um hospital de campanha serão montados no campo de futebol da cidade para atender aos desabrigados.

A Defesa Civil Estadual está vistoriando os municípios com equipes em campo e a distância, por telefone, do escritório em São Luís. O órgão também está acompanhando em tempo real o comportamento das chuvas, através de imagens do céu maranhense captadas por satélite do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Até ontem à tarde, apenas as coordenadorias municipais da Defesa Civil de cinco municípios haviam informado o total de desalojados e desabrigados.

Bacabal está com 30 desalojados e 565 desabrigados; Imperatriz com 269 desalojados e 275 desabrigados; Pedreiras com 48 desalojados e 188 desabrigados; São Luiz Gonzaga com 62 desalojados e 247 desabrigados; e Timon com 62 desalojados e 247 desabrigados. Até ontem à tarde os dados de Trizidela não haviam sido atualizados. Mas na tarde de quinta, eram 225 os desalojados e 675 os desabrigados naquela cidade. Segundo dados da prefeitura, repassados pelo governo, são 1.500 as famílias afetadas naquela cidade.

A Defesa Civil Estadual também tem monitorado o nível dos rios em cada cidade ribeirinha. Em Bacabal, o nível do rio Mearim está 6,5 metros acima do normal. Sete das 11 cidades monitoradas informaram o nível dos rios até a tarde de ontem. O rio Mearim está 6,52 metros acima do normal em Bacabal; 6,4 metros acima do normal em Pedreiras; 5,75 metros acima do normal em Trizidela; e 9 metros acima do normal em São Luiz Gonzaga. O rio Itapecuru está 4 metros acima do normal em Cantanhede, e 4 metros acima do normal em Itapecuru Mirim. Em Imperatriz, o rio Tocantins está 9 metros acima do normal.

Wellington disse que além de Trizidela, mais cidades deverão declarar situação de emergência nos próximos dias, tendo em vista que a previsão até quarta-feira de cinzas (9) é de bastante chuva, segundo o INMET. O secretário-chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva anunciou ontem durante visita ao município de Trizidela do Vale o envio de barracas, cestas básicas e medicamentos, além da instalação um hospital de campanha e banheiros químicos. Trata-se da primeira ação emergencial do governo do estado para atender aos desabrigados das cheias do rio Mearim.

Comitê de Crise vai a cidades afetadas
Luís Fernando, presidente do Comitê de Prevenção e Assistência às Populações Vítimas das Chuvas (CPAV), voltou ontem da viagem à região do Mearim. Ele estava acompanhado dos secretários de Segurança Pública, Aluísio Mendes, e de Planejamento, Orçamento e Gestão, Fábio Gondim, e do comandante do Corpo de Bombeiros do Maranhão e coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Marcos Paiva. Todos são membros do CPAV. O chefe do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres da Secretaria de Defesa Civil Nacional, Armin Braun, também acompanhou a comitiva.

 A equipe do chamado Comitê de Crise sobrevoou Bacabal, Pedreiras e Trizidela do Vale, cidades mais afetadas pela cheia do rio Mearim. Os secretários se reuniram com o prefeito de Trizidela, Jânio Balé. Este informou que a cidade dispõe hoje de 32 locais que estão funcionando como abrigos, tais como escolas e igrejas. O comitê assegurou a chegada de duas mil cestas básicas a Trizidela neste sábado. O material foi obtido em parceria com a Defesa Civil Nacional. “O Governo do Estado já adquiriu 10 mil cestas básicas que estarão disponíveis na próxima semana para atender os municípios da região atingidos pela enchente”, disse Aluísio Mendes.

O secretário de Segurança disse que a partir de segunda-feira (7), barracas e um hospital de campanha serão montados no campo de futebol da cidade para atender aos desabrigados. O acampamento, com capacidade para atender mil pessoas, terá banheiros químicos, disponibilizados pela Companhia de Saneamento Ambiental (Caema). O hospital de campanha atenderá tanto a população de Trizidela do Vale como a da vizinha Pedreiras. Atualmente, 40 policiais e 20 bombeiros militares dão apoio ao município de Trizidela do Vale. O efetivo na região será reforçado com mais 80 homens, além do suporte de duas lanchas do Batalhão Ambiental, que irá monitorar o nível do rio para retirada da população, caso seja necessário, e também evitar saques. O Comitê de Crise garantiu que após as enchentes, o governo do estado irá adotar ações de médio e longo prazo para evitar desastres como este. As medidas deverão ser implantadas em parceria com os municípios e o governo federal.

Com informações de Carolina Mello do Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário