quinta-feira, 3 de março de 2011

SINDICATO DOS PROFESSORES DIZ QUE ADESÃO É DE 95%

Júlio Guterres, secretário do (Sinproessema), disse que 95% dos professores da rede pública estadual aderiram à greve, deflagrada na terça-feira.

O secretário de imprensa do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma), Júlio Guterres, disse que 95% dos professores da rede pública estadual aderiram à greve, deflagrada na terça-feira. “Pouquíssimas escolas funcionaram, ainda sim de forma insipiente”, disse ele. O sindicalista disse que a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) não apresentou uma segunda contraproposta.

A expectativa da categoria é que a Seduc entre reinicie as negociações após o carnaval. Em nota, a Seduc informou que pretende implantar o Estatuto do Educador 2011, uma das principais reivindicações da categoria, e que está aberta a negociações. A Seduc informou ainda que 70% das escolas da região metropolitana de São Luís e em 17 unidades regionais do estado estão funcionando normalmente, contradizendo as informações do Sinproesemma.

Júlio disse que a despeito das pressões, a categoria aderiu à greve. Ele afirmou que professores contratados e concursados em estágio probatório estariam sendo pressionados pelas direções das escolas a trabalhar, sob risco de terem o ponto cortado.

Guterres ressaltou que a greve tem não só o objetivo de assegurar direitos aos professores, mas de melhorar a qualidade da educação. Segundo ele, muitos professores estão sendo convocados a dar aula de disciplinas diferentes, e em muitas escolas do interior do estado, não há carteiras para os alunos. Repetindo o ato realizado no dia 1º de março, a categoria irá realizar passeata pelas ruas do Centro na manhã de hoje. A concentração está prevista para ser às 8h30, na Praça Deodoro, com destino ao Palácio dos Leões, sede do governo do estado.

O Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), reafirma que a implantação imediata do Estatuto do Educador em 2011 está garantida. Esclarece ainda que mantém aberto o canal de negociação com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma), embora as negociações tenham sido interrompidas pelo indicativo de greve da categoria. Em reunião com o Governo no último dia 23, o sindicato comprometeu-se em apresentar uma contraproposta e entregá-la à Seduc no dia 25. Entretanto, no dia 24, o Sinproesemma encaminhou à Secretaria, um documento informando sobre a decretação de greve geral. A proposta do sindicato foi apresentada, portanto, após o comunicado de greve da categoria.

Carolina Mello O Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário