segunda-feira, 4 de abril de 2011

JACKSON LAGO MORRE EM SP, O MA CHORA SEU FILHO ILUSTRE

Morreu há poucos minutos no Hospital do Coração, em São Paulo, o governador do Maranhão eleito em 2006, Jackson Kepler Lago. Ele estava internado desde quarta-feira (30), depois de uma piora no seu estado de saúde. Jackson sofria de câncer de próstata.

Jackson Kléper Lago, nasceu na cidade de Pedreiras- MA, em 1º de Nobembro de 1934. Foi eleito prefeito de São Luis por três vezes e governador do Maranhão em 2006, sempre pelo Partido Democrático Trabalhista – PDT.

Carreira política
Jackson Lago começou sua trajetória política ainda na década de 1960, participando de protestos contra a ditadura militar. ] Ligado ao sindicato dos médicos, foi pioneiro na realização de cirurgia torácica no sistema de saúde pública do Maranhão e lecionou na Faculdade de Medicina do Estado. Em 1979, ao lado de Leonel Brizola, ajudou a fundar o diretório do Partido Democrático Trabalhista, do qual permaneceu até o final da vida.

Prefeito de São Luís por três ocasiões (1989-1992, 1997-2000 e 2001-2002, quando foi reeleito), Lago, que conquistou o título de melhor prefeito do Brasil, de acordo com pesquisa do jornal Folha de S. Paulo. Uma de sua principais metas frente ao governo, tanto municipal quanto estadual, foi a ampliação do número de vagas nas escolas e a capacitação dos professores como forma de vencer o analfabetismo e combater a miséria no Maranhão. A gestão Lago em São Luís também foi reconhecida por avanços nas áreas de saúde, geração de emprego e renda, segurança pública, participação popular, infra-estrutura, meio-ambiente e cultura.

Lago renunciou ao último mandato de prefeito de São Luís para concorrer ao governo do estado. Contando inicialmente com a preferência de apenas cerca de 20% do eleitorado, Lago surpreendeu todas as pesquisas de opinião e foi eleito no segundo turno com 51,82% dos votos válidos contra 48,18% de Roseana Sarney. Lago foi governador do Maranhão de janeiro de 2007 a abril de 2009. Com apenas cinco meses de governo, em maio de 2007, teve seu nome envolvido na Operação Navalha da Polícia Federal. Era apenas o começo de um processo de desestabilização de seu governo, que culminou com sua saída, em abril de 2009.

Uma das principais justificativas para cassação de seu mandato foi a participação dele no aniversário da cidade de Codó, três meses antes das convenções partidárias que lhe apontou como candidato ao governo. Na época, Jackson Lago não exercia nenhuma função pública. Mesmo assim, foi acusado pelo grupo sarney, de abuso de poder econômico e de compra de votos, uma grande farsa oficial.

Sua eleição havia colocado um fim aos 40 anos de domínio da dinastia Sarney no estado.

A Assembleia Legislativa decretou luto oficial de três dias e disponibilizou a casa para a realização do velório de Jackson. O governo do Estado também lançou nota na qual lamenta a morte do político e decretou luto estadual e ofereceu o Palácio dos Leões para o velório.

Mas segundo, pessoas próxima ao governador revelaram que o desejo de Lago seria ser velado na sede do Partido Democratico Trabalhista (PDT), localizada na Rua dos Afogados, Centro da cidade.

Com informações do CN, JP e outros

0 comentários:

Postar um comentário