terça-feira, 23 de agosto de 2011

OAB: SARNEY DEVE DEVOLVER O DINHEIRO GASTO EM VIAGENS

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) quer que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e sua filha, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), devolvam ao erário o que foi gasto com o uso de helicóptero da Polícia Militar estadual a serviço da família. Em dois fins de semana, o aparelho foi flagrado levando Sarney, sua mulher, Marly, e amigos para a ilha do Curupu, pertencente à família do senador, segundo denúncia do jornal Folha de S. Paulo. O presidente do Senado teria usado a aeronave de R$ 16,5 milhões duas vezes neste ano.
 Ophir Cavalcante
 “É um caso típico de confusão entre o público e o privado”, afirmou o presidente da OAB, Ophir Cavalcante. “Espero que o bom senso prevaleça e que o Estado seja ressarcido pelo dano sofrido”, acrescentou. Para ele, pai e filha têm responsabilidade no episódio, mas a maior carga de cobrança recai sobre a governadora, porque o helicóptero pertence ao patrimônio estadual. “É inerente ao cargo que o dirigente público tenha compromisso moral e ético no trato da coisa pública”, explicou.

Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, em uma das idas, o peemedebista foi acompanhado de um empresário que tem contratos milionários no Estado governado por sua filha. Ao final da viagem, o desembarque das bagagens de Sarney teria atrasado o atendimento, pela Polícia Militar, de um homem com traumatismo craniano e clavícula quebrada.

Por meio de sua assessoria, Sarney disse ter “direito a transporte de representação e segurança em todo o território nacional, seja no âmbito federal ou estadual, sem restrição às viagens de serviço”. Disse ainda que o Legislativo, a exemplo do Executivo e do Judiciário, “são poderes da União independentes e harmônicos entre si” e que estava no Maranhão a convite da governadora do Estado, por acaso sua filha. Vídeos feitos por um cinegrafista amador mostram que houve pelo menos duas viagens no mesmo helicóptero para a ilha.

Na última, realizada no dia 26 de junho, Sarney teria levado como seus convidados um empresário que tem negócios com o governo maranhense e a mulher dele. Na primeira viagem, em 10 de junho, o presidente do Senado se fez acompanhar da mulher, Marly, e familiares. “É lamentável ainda ver o público sendo uma extensão do privado”, criticou Ophir. “Isso é cultural no País”.

John Cutrim com informação das Agências de Notícias

0 comentários:

Postar um comentário