quarta-feira, 7 de setembro de 2011

NA TV, DILMA RESSALTA CRISE E COMBATE À CORRUPÇÃO, VEJA

Em pronunciamento na véspera do Dia da Independência, a presidente diz que crise econômica atual é pior que a de 2008.

A presidenta Dilma Rousseff aproveitou o pronunciamento do Dia da Independência, comemorado amanhã, 7 de setembro, para tentar tranquilizar os brasileiros sobre a atual crise econômica mundial. Ela também lembrou programas sociais lançados em seu governo e na gestão anterior, de Luiz Inácio Lula da Silva, e ressaltou o combate à corrupção em seu governo.

Dilma elogiou a sociedade brasileria, que segundo ela não aceita corrupção. "(O Brasil é) um País que tem rumo e sabe da grandeza do seu destino, um país que com o malfeito não se acumplicia jamais e que tem na defesa da moralidade, no combate à corrupção, uma ação permanente e inquebrantável”, disse. No vídeo, a frase "combate permanete à corrupção" foi destacada. O pronunciamento foi transmitido na noite desta terça-feira em rede nacional nas cadeias de rádio e televisão.

Crise econômica mundial
Em sua fala, Dilma afirmou que "a crise atual é pior que a de 2008", mas que o "Brasil está plenamente preparado para enfrentá-la". Disse que "a inflação está sob controle", que "os juros voltarão a baixar", e que a "estabilidade (está) garantida".

Em seguida, admitiu que seu governo estará "bem atento" na defesa do mercado interno, especialmente não permitindo "ataques às indústrias e empregos" vindos de "concorrência desleal". "O meu governo não irá permitir ataques às nossas indústrias e aos nossos empregos. Não vai permitir jamais que artigos estrangeiros venham a concorrer de forma desleal com os nossos produtos", afirmou.

Infraestrutura e programas sociais
"Vamos prosseguir a todo vapor com nossos investimentos em infraestrutura e programas sociais", garantiu Dilma. Entre os programas, a presidenta citou o ProUni, o Pronatec e o programa de bolsas no exterior. Na área da saúde, citou a ampliação das Unidades Básicas de Saúde, o combate às o combate às drogas, em especial o crack, "com autoridade e apoio às vítimas". Afirmou, ainda, que irá lançar uma rede "composta por comunidades terapêuticas, consultórios de rua e clínicas especializadas para atendimento às vítimas das drogas. Na área da segurança, citou a implementação do sistema de controle das fronteiras "para evitar entrada de drogas e armas".

"Estamos ampliando o esforço do governo Lula", disse. Para a presidente, o Brasil tem muito espaço para crescer, não somente como "economia de mercado, consumo de bens", mas também na melhoria e qualidade de acesso aos serviços públicos, "pois já implantamos o grande círculo virtuoso da distribuição de bens".

Dilma finalizou sua fala afirmando que os avanços econômicos e sociais do Brasil "são provas de um País que luta sem parar para superar seu problemas e ser cada vez mais independente".

IG São Paulo 

0 comentários:

Postar um comentário