quinta-feira, 6 de outubro de 2011

DEP QUER CAPITAL INICIAL E DETONAUTAS TOCANDO NO MA

Durante discurso realizado na manhã desta quinta-feira (6), o líder da bancada de oposição ao governo do Estado, deputado Marcelo Tavares (PSB), reiterou suas críticas a atuação gestão da secretaria de Saúde e cobrou do titular da pasta, o deputado estadual licenciado Ricardo Murad (PMDB), que responda a todas suas indagações encaminhadas por escrito.

Segundo Tavares, todos os questionamentos foram apresentados ao secretário durante a audiência pública realizada mês passado na Assembleia Legislativa, quando Murad prestou esclarecimentos sobre o projeto “Saúde é Vida”. No entanto, na oportunidade o gestor não teria tempo para responder a todas as perguntas, devido ao seu grande número, mas que teria se comprometido a posteriormente enviá-los ao líder.
“Quero deixar registrado que até a presente data, o secretário não respondeu a absolutamente nenhuma das perguntas que a Oposição fez aqui nesta Casa, nenhuma. Até porque ele, que é o campeão brasileiro de dispensa de licitação, não tem o que responder naquela gestão precária que faz no comando da Saúde do Estado”, reclamou.

Entre os questionamentos feitos por Marcelo estão informações sobre as razões pela qual a Proenge Engenharia foi contratada por dispensa de licitação, por que as principais licitações da Secretaria só têm licitante único, se o secretário não suspeita de que haja acerto entre empresas participantes das licitações do Saúde é Vida, por exemplo. “Então eu quero reiterar, deixar claro para todos que as perguntas não foram respondidas pelo secretário. Ele silenciou, porque tudo que for denunciado aqui é verdade, o que mostra mais uma vez que a Oposição tem razão aqui quando denuncia esses esquemas de corrupção existentes na Secretaria de Saúde do Maranhão”, argumentou.

Bandas
Em outra parte de seu pronunciamento, Marcelo Tavares sugeriu ao também deputado Magno Bacelar (PV) que a prefeitura de Chapadinha, cuja gestora é esposa do parlamentar, contratasse as bandas Detonautas e Capital Inicial, para animarem uma festa no município.

A sugestão de Tavares remete a um pronunciamento anterior de Bacelar. Ele dissera que o vocalista Dinho Ouro Preto (Capital Inicial) não teria coragem de criticar o senador José Sarney (PMDB-AP), como aconteceu no Rock in Rio, caso o show da banda fosse realizado em Chapadinha.

“Já que a prefeita de Chapadinha vai contratar com dispensa de licitação por R$ 450 mil bandas para tocar lá. Quero sugerir que sejam contratados o Capital Inicial e o Detonautas, só para ver se o vocalista mantém a mesma postura e repete as críticas feitas ao senador durante o show no Rio e se a população de Chapadinha faz aquele coro que a população brasileira reunida no Rio de Janeiro, até com turistas internacionais, turistas de outros países, fez ali no Rock Rio”, finalizou.  

John Cutrim com informações da Agência Assembleia

0 comentários:

Postar um comentário