quinta-feira, 22 de março de 2012

FRANÇA CONFIRMA MORTE DE TERRORISTA EM TOULOUSE

O ministro francês do Interior, Claude Guéant, confirmou nesta quinta-feira a morte de Mohammed Merah, 23, suspeito por sete mortes na região de Toulouse, quatro delas em uma escola judaica, onde morreram três crianças. Ele morreu após resistir durante a invasão das forças especiais da polícia francesa, pondo fim a um cerco que durou mais de 30 horas.

"No momento em que enviamos uma câmera de vídeo ao banheiro [onde Merah estava escondido], o assassinou saiu e começou a disparar com extrema violência", explicou Gueánt aos jornalistas, conforme relato da Reuters. "No final, Mohamed Merah se atirou pela janela com uma pistola enquanto continuava disparando. Depois, encontramos o corpo morto no chão".

Merah, um francês de origem argelina que alega ter ligações com Al Qaeda, estava sitiado em seu apartamento há mais de 30 horas. Nesta manhã, uma força de elite da polícia francesa entrou na residência, quando foram ouvidos disparos.

Gueánt também confirmou que três policiais foram feridos na operação, sendo um gravemente. Merah, segundo o ministro francês, teria declarado preferir morrer "de armas na mão".
Associated Press
Vídeo em local não-divulgado mostra suposto atirador de Toulouse, Mohamed Merah
O assalto começou às 11h 30 (7h30 em Brasília), após várias horas de negociação com o assassino confesso de três militares, três crianças de origem judaica e o pai de uma deles em Toulose e na cidade vizinha de Montauban.

CERCO
Por volta das 21h (18h em Brasília) de ontem, a luz do bairro foi cortada. O ministro Géant havia declarado que o suspeito tinha afirmado aos negociadores que pensava em se "entregar em breve".

O acusado afirma que se recusou a fazer um ataque suicida, de acordo com Géant. Segundo ele, Merah diz ter recebido instruções da Al Qaeda durante estadia no Paquistão, e foi levantada a possibilidade de uma ação suicida, proposta que teria sido rejeitada.
Editoria de Arte/Folhapress
Merah é suspeito de matar três crianças e um professor em uma escola judaica na última segunda-feira. Em outros dois ataques na semana passada, ele teria atirado contra três soldados em Montauban, próximo a Toulouse, que também morreram.

Nascido em 10 de outubro de 1988 em Toulouse, ele é francês de origem argelina e possui antecedentes criminais. O suposto atirador esteve no Paquistão e no Afeganistão e se declara jihadista da Al Qaeda.

A FRANÇA 'DE JOELHOS'
Merah prometeu se render por várias vezes ontem, enquanto a Raid (unidade de elite da polícia) realizou "várias tentativas de entrar" no apartamento de Toulouse, mas a cada tentativa era atacada a tiros, conforme relatou o procurador de Paris, François Molins.

Ainda segundo Molins, nas conversas com os policiais, o suspeito "não manifesta arrependimento algum", a não ser por "não ter feito mais vítimas", e se vangloria de ter "colocado a França de joelhos".

Merah pretendia assassinar "dois membros da polícia, particularmente conhecidos na comunidade" de Toulouse, assim como um militar nesta quarta-feira, disse ainda o procurador.

MAIS ATAQUES
Ontem mais cedo, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, afirmou a representantes da comunidade judaica que o suspeito pretendia executar um novo ataque.

Nicole Yardeni, delegada local do Crif (Conselho Representativo de Instituições Judaicas), afirmou que Sarkozy fez a revelação durante uma reunião com representantes das comunidades religiosas em Pérignon, perto do local onde o suspeito está cercado pela polícia.

"Ele tinha um plano para matar na manhã desta quarta-feira", disse Yardeni.
Fontes policiais informaram, um pouco antes, que haviam encontrado explosivos no carro de um dos irmãos de Mohamed Merah, 23, o suspeito dos assassinatos em Toulouse.

Com informações do IG 

0 comentários:

Postar um comentário