quinta-feira, 8 de março de 2012

Professores fazem assembleia para decidir se haverá greve

A assembleia dos professores começou na manhã desta quinta-feira (8/3), por volta das 9h30, em frente ao Palácio do Buriti. Antes disso, eles fizeram uma manifestação, que contou com a presença de professores e estudantes. Balões e faixas espalhadas no local anunciavam o indicativo de greve.

A categoria reinvidica o cumprimento do acordo fechado em abril do ano passado, em que o governador Agnelo Queiroz negociou a reestruturação do plano de Carreira até 2014 e a isonomia salarial da categoria com outras carreiras de nível superior.

A categoria se reuniu em novembro com o GDF, e rejeitou a proposta do governo, porque ela não contemplaria o acordo firmado previamente. "Hoje contam 113 dias desde esse encontro, e não houve nenhum avanço nas negociações. Os professores estão insatisfeitos, pois dentre as 27 carreiras do GDF, o salário do professor está na antepenúltima posição", explica Neliane Cunha, diretora da secretaria de mulheres do Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF).

Os profissionais também reclamam a falta de um plano de saúde e aguardavam até hoje uma proposta, que deveria ter sido votada em julho do ano passado. "O dia de hoje foi escolhido especialmente por ser o Dia Internacional da Mulher, pois mais da metade do magistério é composto por mulheres, que ainda ganham menos do que os homens. Dessa forma, a luta também é pela isonomia salarial entre os gêneros", conta Neliane.

O Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF) disponibilizou ônibus saindo de todas as regiões administrativas para garantir a presença dos professores no local. A assembleia tem previsão para acabar ao meio-dia.

O governo informou que só fará declarações no período da tarde, após a conclusão das negociações.

Fonte: Correio Brasiliense

0 comentários:

Postar um comentário