quarta-feira, 16 de maio de 2012

Greenpeace entra no terceiro dia de protesto e navio ainda não foi carregado

Navio cargueiro
O protesto da Organização Não-Governamental Greenpeace completa quase 60 horas na tarde desta quarta-feira (16). Os integrantes da ONG estão presos na corrente da âncora para impedir que ela seja recolhida e o nacio cargueiro Clipper Hope seja carregado com mais de 31 mil toneladas de ferro gusa.

Quando ia completar 48 horas de protesto dos ativistas do Greenpeace, por volta das 9h30 desta quarta-feira (16), o diretor da campanha Amazônia, Paulo Adario, vestiu capacete, macacão e também se prendeu à corrente da âncora.

Premiado, no fim do ano passado, como "Herói da Floresta", Adario é mais um entre os ativistas que estão se revezando no bloqueio. O navio em questão seguiria para o Porto de Itaqui, em São Luis, onde seria carregado com 31 mil toneladas de ferro gusa - matéria-prima que é exportada para os EUA, onde vira aço usado na fabricação de veículos.

A investigação que foi divulgada pelo Greenpeace, nesta segunda-feira, mostra que a produção de ferro gusa tem deixado para trás um rastro de desmatamento, uso de trabalho análogo ao escravo e ameaça a povos indígenas.

O Imparcia

0 comentários:

Postar um comentário