terça-feira, 22 de maio de 2012

Juro do empréstimo consignado caiu de 2,34% para 2,14% para aposentados

O Conselho Nacional de Previdência Social definiu nesta terça-feira as novas taxas máximas que podem ser cobradas no crédito consignado para aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

De acordo com o Ministério da Previdência, o teto caiu de 2,34% para 2,14% na modalidade de empréstimo pessoal, com desconto direto no benefício. A taxa já inclui o custo efetivo total da operação.

O anúncio da medida ocorre um dia após o ministro Guido Mantega anunciar uma série de medidas para estimular o consumo.

O consignado é uma das modalidades mais seguras de empréstimo para os bancos. O risco é baixo porque, antes de o aposentado receber o benefício, o banco faz o desconto na folha da Previdência.

O consignado representa um quinto do crédito pessoal disponível no mercado.

Atualmente, 38 institutições financeiras oferecem a modalidade.

No caso dos empréstimos consignados por meio de cartão de crédito, as taxas caíram de 3,36% de juros para 3,06%.

"Isso é apenas uma primeira medida, discutida com o Banco Central. Poderemos adotar outras", afirmou o ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho.

As novas taxas devem entrar em vigor quando a portaria com as novas taxas for publicada, o que deve ocorrer ainda nesta semana.

Os empréstimos do consignado do INSS totalizaram R$ 2,97 bilhões em fevereiro. O resultado é 30% superior ao mesmo mês de 2010. O total de crédito pessoal liberado em fevereiro foi R$ 14,4 bilhões, diz o BC.

QUEIXAS
A Previdência informou ainda que outras medidas estão sendo estudadas, como agilidade na devolução de cobranças indevidas em caso de irregularidade no empréstimo, atenção especial a segurados que são frequentemente alvo de fraudes, aperfeiçoamento do sistema de comunicação de irregularidades e ampliação das campanhas sobre como evitar fraudes.

O número de fraudes envolvendo o crédito consignado do INSS creceu quase 20% no ano passado. Enquanto em 2010 foram contabilizados 2.773 empréstimos fraudulentos, no ano passado a Previdência encontrou 3.320 irregularidades.

As fraudes já superam as reclamações procedentes (quando há erro administrativo na concessão ou trâmite do empréstimo), que caíram de 3.027 para 2.935 no ano passado. É a primeira vez que isso ocorre desde 2008, quando começou o levantamento.

Também foi alvo da reunião de hoje do conselho a regulamentação dos intermediários que oferecem o crédito aos segurados, conhecidos como "pastinhas".

De acordo com o Procon, a maior reclamação sobre o consignado é contra o 'pastinha', quem vende o crédito.Como eles têm comissão por negócio feito, tentam convencer de qualquer forma o segurado a fazer o empréstimo.

QUEDA DE JUROS
A Caixa e o Banco do Brasil deram início, em abril, a uma onda de cortes nos juros oferecidos no crédito a consumidores e empresas. O movimento, que atendeu a um chamado do governo, buscava forçar a concorrência no setor e induzir mais bancos a praticar taxas menores.

Desde então, os principais bancos do país aderiram ao esforço e já anunciaram a diminuição das taxas de juros em diferentes linhas de créditos.

Com informações da Folha

0 comentários:

Postar um comentário