segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Assaltos a bancos aumentam em 100% no MA



Pesquisa nacional mostra que em 2011 foram quatro ocorrências, enquanto este ano já chega a oito. Números da Secretaria de Segurança são divergentes e mostram queda.

Números altos, alarmantes e, principalmente, preocupantes para o setor de segurança. Dados de pesquisa, em nível nacional, elaborada pela Confederação Nacional dos Vigilantes e Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, revelam que os ataques a bancos cresceram 50,48% durante esses primeiros seis meses deste ano e contabilizaram mais de 1.261 ocorrências em todo o país. No ano passado, foram 753 ataques em todo território nacional, sendo 331 assaltos e 422 arrombamentos.

Equipamentos usados pelos assaltantes de caixas eletrônicos: no estado, foram registrados 28 arrombamentos; em 2011, 19

Este ano, o estado de São Paulo é o campeão em ocorrências com 289 ataques. O segundo lugar pertence a Minas Gerais, com 165. O Maranhão está em 10º lugar com 70 casos entre assaltos a bancos, arrombamentos, saidinhas bancárias e tentativas.

Ainda segundo a pesquisa, o aumento dos ataques a bancos, sobretudo arrombamentos, tem relação direta com a onda de explosões de caixas eletrônicos, pois muitos estão instalados em locais inseguros e desprovidos de equipamentos de segurança.

Em maio, a polícia apresentou mais uma das quadrilhas de assaltantes de bancos presa no MA: 18 já são contabilizados

No Maranhão, os assaltos a bancos cresceram 100% comparando-se os números deste ano com os de 2011. No ano passado, houve registro de apenas quatro assaltos. Este ano, os números registrados pelo Sindicato dos Bancários do Maranhão (Seeb-MA) são chegam a oito. Já a variação de arrombamento aos caixas eletrônicos teve um aumento de 47,4%. Em 2011, houve 19 arrombamentos e este ano, o registro é de 28.

Em relação a mortes em assaltos a bancos, o Maranhão está zerado, mas a pesquisa apurou a ocorrência de 27 em todo o país. Uma média de quatro vítimas fatais por mês e um aumento de 17,4% em se tratando ao mesmo período do ano passado, quando o registro foi de somente 23 mortes. São Paulo contabiliza o maior número de homicídios, com seis ocorrências.

Ausência de segurança
Ainda de acordo com os dados da pesquisa foi revelado que os bancos estão deixando de investir no sistema de segurança privada. Com base nos balanços publicados do primeiro semestre de 2012, os cinco maiores bancos lucraram R$ 24,6 bilhões e aplicaram R$ 1,5 bilhão em despesas com segurança e vigilância, o que representa uma média de 6,05% na comparação entre os lucros e os gastos com segurança.

Fonte: O Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário