quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Garota de 11 anos salva irmão de pit bull em SP



Cachorro escapou e mordeu menino de 8 anos na cabeça, mãos e costas.
Heitor com a irmã Heloísa, que o salvou do ataque do cão na saída da escola

'Eu comecei a gritar e chutar. Na hora eu não tive medo', disse a irmã.

Uma menina de 11 anos salvou o irmão de 8 do ataque de um cão da raça pit bull em Araraquara (SP), na manhã da última segunda-feira (10). O menino foi mordido na mão, nas costas e na cabeça. Ele foi socorrido, medicado e passa bem.

Segundo a mãe das crianças, a secretária Cristiana Texeira, de 33 anos, a filha dela, Heloísa Teixeira, teria ido buscar o irmão, Heitor Teixeira, que estuda na Escola Estadual Antonio Joaquim de Carvalho, no bairro Jardim Morumbi. Por volta das 11h30, os dois voltavam para casa quando aconteceu o ataque.

A menina contou que, ao passar em frente a uma casa, escutou um forte barulho e de repente viu o cachorro arrombar o portão de madeira e correr na direção da primeira criança que encontrou. “Eu comecei a gritar no meio da rua. Ele pulou em cima do meu irmão, então eu comecei a chutar. Na hora eu não tive medo, nem pensei nisso, só queria tirar meu irmão de lá”, disse.

A menina relatou ainda que gritava enquanto chutava o animal, o que pode ter assustado o cão. Ele parou de atacar o irmão dela e voltou para dentro da casa. A residência abriga uma república de estudantes, segundo a mãe das crianças.

Susto
A secretária disse que ficou desesperada quando a filha ligou para ela para pedir ajuda. “Fiquei desesperada com a notícia, porque a gente sabe como é o ataque de um pit bull. E esse desespero aumentou quando cheguei na escola e vi meu filho todo ensanguentado”, contou.

O diretor da escola prestou os primeiros socorros ao menino e a mãe e um tio o levaram para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Xavier. O garoto foi medicado e liberado no mesmo dia. Heitor levou dois pontos na cabeça. Também ficou ferido nas costas e na mão esquerda.

“Ele está assustado e reclama um pouco da dor. Mas está se recuperando bem. Já a minha filha passou pelo pediatra e precisou tomar calmante, porque ela chorou o dia todo”, relatou.

Cristiana afirmou que, mesmo correndo risco, a filha foi muito corajosa e que em seu lugar teria feito o mesmo. A mãe disse que o filho está com medo e não quer mais ir à escola andando, portanto, as crianças utilizarão o transporte escolar a partir da próxima semana.

Assistência
A mãe das crianças afirmou que não pretende tomar nenhuma medida contra os estudantes que moram na república de onde o pit bull escapou. “É uma situação terrível, na hora a gente pensa em tudo, mas não pretendo processá-los”, declarou.

Segundo ela, os estudantes pagaram todas as despesas médicas do menino. Já o cão deverá ficar sob observação por sete dias.

Fonte: g1.com.br

0 comentários:

Postar um comentário