quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Reintegração de posse termina com confusão e confronto entre população e polícia



O clima fechou na manhã desta terça-feira (13), no bairro Parque Araçagi, em São José de Ribamar. Uma reintegração de posse de um terreno invadido há alguns meses terminou em muita confusão e violência envolvendo moradores e policiais.
 Confusão em reintegração de posse no Parque Araçagi. Confronto entre moradores e polícia.

O terreno de propriedade do atual reitor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Natalino Salgado, que estava representado através de procuração por seu irmão, Afonso Salgado, corresponde a 5 lotes com cerca de 200 m² e está localizado na Avenida São Paulo, no Parque Araçagi.

Afonso Salgado relatou que os moradores já haviam sido notificados há cerca de oito meses e mesmo assim não desocuparam o terreno. Segundo ele, motivados por uma promessa de um dos candidatos a vereador de São José de Ribamar, que teria afirmado aos moradores que conseguiria a transferência da propriedade para os moradores, eles continuaram a ocupar a área.

De acordo com moradores, pelo acordo com o proprietário do terreno, os ocupantes da área iriam desapropriar o terreno sem violência assim que fosse possível encontrar outro local para ficarem.

Entretanto, segundo eles, na manhã desta terça-feira, vários policiais teriam chegado ao local com a ordem de retirada dos moradores e teriam feito isso, agindo com violência.

Em resposta a ação policial, cerca de 300 pessoas ocupantes do terreno, interditaram a Avenida São Paulo, com barricada e queima de objetos. Um total de 70 policiais da Tropa de Choque e Cavalaria participaram da ação.

O comandante Evaldo, que responde pelo o 8º Batalhão da Polícia Militar, e era o responsável pela ação, disse que, a operação estava sob controle, mas em determinado momento houve um descontrole dos próprios moradores. "O nosso acordo era de agir sem violência, mas dois moradores iniciaram um tumulto por pensarem que não deixaríamos os mesmos retirarem seus pertences, o que não era a nossa intenção", afirmou o comandante. Ele disse ainda que espera que até o fim do dia, a situação esteja totalmente controlada e o terreno desapropriado.

Acompanhamento judicial

O membro da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Maranhão (OAB-MA), advogado Rafael Silva, acompanhou o cumprimento da ordem judicial e disse que intenção era fiscalizar para o acordo fosse cumprido.

“O acordo é que todos os ocupantes possam retirar todos os seus pertencentes e não existe tempo limite para isso. Por isso estamos aqui acompanhando para que não haja nenhum descumprimento dos direitos dados a ambas as partes", afirmou Rafael.

Rafael Silva, disse também que estava buscando medidas junto a prefeitura de São José de Ribamar, para tentar acomodar todos os ocupantes da área em outro local. "Nós estamos nos esforçando para buscar uma medida com o prefeito Gil Cutrim, no intuito de conseguir um ginásio ou um galpão, para acomodar essas pessoas, até que eles encontrem outro lugar para morar", informou o advogado.

Fonte: O Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário