sábado, 9 de fevereiro de 2013

Os três mosqueteiros de Sarney são humilhados pela oposição na AL/MA


Os deputados sarneysistas Roberto Costa (PMDB), Magno Bacelar (PV) e Edilázio Júnior (PV) na tentativa de elevar a autoestima do agora ex-presidente do Senado José Sarney – em baixa depois de deixar o cargo, pediu licença de 4 meses do Senado para curar a ‘ressaca’ da perda de poder – fizeram discursos de elogio a trajetória política do ‘Poderoso Chefão’ na sessão desta quinta-feira (7), na Assembleia. Houve parlamentares que, diante dos pronunciamentos tão melosos proferidos pelos colegas, quase foram às lágrimas por conheceram naquele momento um outro lado da personalidade de Sarney, um ser ‘bondoso’, ‘amoroso’, preocupado com o ‘próximo’.
“Eu gostaria de destacar muito a saída do senador Sarney da presidência do Congresso Nacional, enquanto maranhense, enquanto membro do PMDB”, declarou Roberto Costa, ao iniciar seu discurso de bajulação. “Ele teve uma saída honrosa da presidência do Senado Federal, uma saída que emocionou a todos nós e, ao final do seu discurso, depois de relacionar os grandes feitos que ele fez para fortalecer o Poder Legislativo da mais alta corte do nosso País e todos os senadores, independentemente de cor partidária, de posição política se levantaram e aplaudiram, não o presidente do Congresso, mas a história do presidente do Congresso, José Sarney”, completou o serviçal da oligarquia.
Falando na condição de novo líder do Bloco Parlamentar pelo Maranhão, formado pelo PMDB, DEM, PTB e PTdoB, o subserviente Roberto Costa acrescentou que foi motivo de orgulho e de muita alegria para todos os maranhenses assistir ao reconhecimento do Congresso Nacional à pessoa do senador José Sarney.
Ora, como assim? ‘Orgulho’ e ‘alegria’ de uma oligarquia subversiva comandada por Sarney que trouxe, em 50 anos de (des)governo, somente atraso, miséria e sofrimento ao povo do Maranhão, colocando o estado sempre os últimos lugares nos indicadores sociais? Só ser fora para os três parlamentares, que vivem muito bem, em padrão de vidas altíssimos a custa das benesses do poder. Para eles, evidente que o Maranhão está próspero. E como está, se é que entendem…
O deputado Magno Bacelar, lacaio-mor da oligarquia discursando na mesma linha utilizada pelo deputado Roberto Costa, frisou que o senador José Sarney “é o nosso maior líder, e não poderia deixar de fazer uma referência a este maranhense ilustre que tanto serviço tem prestado ao nosso País, ao nosso Brasil e principalmente o nosso Estado do Maranhão”. Bom, e Magno ainda não quer se chamado de puxa-saco.
O que os três mosqueteiros apedeutas da oligarquia não esperavam era pela rebordosa avassaladora da oposição, através do deputado Marcelo Tavares (PSB).
“Deputado Magno, eu só tenho um lamento a fazer, ouvindo V.Exa. da tribuna. V.Exa. diz que o presidente Sarney foi amigo de todos os presidentes, todos, indistintamente, e que todos o aplaudiram de pé, como diz o deputado Roberto Costa. Mas eu, como maranhense, só tenho a fazer um lamento: Sarney foi tudo isso, mas não resolveu o problema de saneamento do Maranhão; não resolveu o problema da educação no Maranhão, que é a pior educação do Brasil; não resolveu o problema da renda do maranhense, que é a pior renda per capta; não resolveu o problema da infraestrutura do Maranhão, que até hoje tem que fazer empréstimo para fazer estrada. Então o Sarney não resolveu nenhum problema no Maranhão em 50 anos de vida pública, deputado Magno Bacelar. Então, como maranhense, eu só tenho a fazer um lamento porque de fato a situação do nosso Estado é incompatível com o tamanho da carreira que o presidente Sarney fez no poder público. Se ele, de fato, tivesse o Maranhão como prioridade, bastava ter resolvido pelo menos um problema do Estado, mas não resolveu nenhum problema do Estado. Então eu faço um lamento. É o final de uma carreira como presidente de Senado, pois ele mesmo disse que não voltará à Presidência do Senado, acho que o Sarney terá muitos anos de vida e eu torço para isso, mas ele diz que cargos políticos ele não ocupará mais, porque ele não é mais candidato. Pelo menos tenho lido isso na imprensa. Então é o fim de um ciclo político, no Senado pelo menos como Presidente. E não vejo nenhum problema do Maranhão ter sido resolvido. Então acho que teríamos mais a comemorar se o Sarney não tivesse sido tudo isso e a educação no Maranhão fosse boa, a saúde do Maranhão fosse boa, o saneamento no Maranhão existisse. Então se o Maranhão fosse um pouco melhor para os maranhenses”.
Os três lacaios, inertes diante das verdades incontestáveis ditas por Tavares, ficaram calados, sem reação alguma. Tadinho deles, poderiam não ter passado por esse vexame. Querendo ou não, acabaram humilhados.

Do Blog do Cutrim

0 comentários:

Postar um comentário