domingo, 14 de julho de 2013

Chega também a Buriti de Inácia Vaz as manifestações que cobram melhorias na prestação dos serviços públicos, confira!

Imagem das manifestações pelo Brasil.

As manifestações que pipocaram por todo Brasil, na eventualidade dos jogos da copa das confederações, a princípio contra os altos investimentos realizados com os estádios e o encarecimento demasiado dos custos da mobilidade urbana. E num segundo momento mais amadurecido contra todas as mazelas, frutos das más gestões dos serviços públicos brasileiros, eivados de corrupção.

A primeira manifestação buritiense nesse sentido aconteceu no dia 27 de junho, em que os manifestantes se deslocaram por toda cidade gritando palavras de ordem, oportunidade que cobravam um feixe de reivindicações (saúde, educação, segurança e outras políticas públicas fundamentais ao cidadão), mas clamavam principalmente por SEGURANÇA PÚBLICA E JUSTIÇA, esta última em razão da ausência constante de magistrado na comarca de Buriti, repudiando a imoralidade chamada TÊ, QUÊ, QUÊ, ou seja, o juiz chega na terça-feira e vai embora quinta-feira e processos judiciais importantes se perpetuando sem julgamento.

Imagens da manifestação do dia 27 de junho nas ruas de Buriti.

Com relação a Segurança Pública a situação é muito precária, o município de Buriti estar sendo invadido diariamente por bandidos armados, que furtam, arrobam e assaltam trabalhadores a luz do dia sem que nada aconteça, a exemplo disso é a agência dos Correios, que num curto espaço de tempo, contabiliza nove eventos dessa natureza, sem que haja um resultado concreto quanto aos autores dos delitos. São falhos tanto o policiamento preventivo que deve ser ostensivo, quanto a polícia judiciária investigativa, nenhuma dessas instituições estão dando conta do “recado” em Buriti.

Faixa com o nome do movimento.

Indignados, revoltados com essa situação os buritienses também saíram às ruas para protestar, criaram o movimento “ACORDA BURITI”, e para dar continuidade a seus clamores, iniciados em 27 de junho, tiveram a ideia de realizar uma audiência pública que ocorreu no dia 10 de julho, na sede da AMIB (ver pauta aqui), para isso convidaram a participarem do evento todas as autoridades constituídas do município (prefeito, secretários municipais, promotor de justiça, comandante regional da policia militar, juiz de direito, presidente câmara e Vereadores).

A comunidade compareceu em peso.

Aconteceu o que já se esperava, a população participou em peso da reunião, entretanto, a participação dos representantes da sociedade civil organizada foi deficiente, a grande decepção ficou por conta das autoridades constituídas que deram as costas para o povo, sequer, tiveram a preocupação de justificarem suas ausências. Negaram-se a dialogar pacificamente com a comunidade, que só queriam algumas respostas ou alternativas para suas aflições, quanto a má qualidade ou total ausência de prestação dos serviços públicos fundamentais.

Major Edivaldo comandante da Polícia Militar.

Não fosse o comparecimento do major Edivaldo, comandante do policiamento regional sediado em Chapadinha, o bloco das autoridades convidadas investidas em algum poder de decisão no município de Buriti, teria sido uma total negação, o major Edivaldo não se acovardou ao chamamento, compareceu, ouviu atentamente o sofrimento do povo e com maestria respondeu todas as perguntas que lhes foram feitas, e em nenhum momento reclamou de constrangimento.

A participação do major Edivaldo foi positiva, a propósito, inicialmente pediu o apoio incondicional da comunidade buritiense no combate a violência (se organizando, denunciando bandidos e autoridades omissas e reivindicando sempre).  Ao final o Comandante prometeu o aumento do efetivo em no mínimo 3 três policiais, um programa de combate as drogas junto aos jovens e ajuste no efetivo local para que atenda minimamente a comunidade.

Muito positiva foi a Audiência Pública ao demonstrar civilidade, muito embora, ofendida com a ausência das ditas autoridades constituídas do município, não perdeu o seu caráter CIDADÃO, caminhou incólume com a finalidade de atingir seus objetivos, o diálogo aberto e franco na resolução dos problemas cotidianos dos sofridos e humilhados cidadãos buritienses. Todavia, o intento é não desistir, afinal de contas, as grandes conquistas se obtém por etapas.

0 comentários:

Postar um comentário