quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Reprovados na segunda etapa do exame da ordem poderão aproveitar resultado da primeira

Maranhão ficou na 15ª posição entre os 26 estados, no último exame realizado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Candidatos reprovados na segunda fase, podem aproveitar a aprovação da primeira em exame subsequente.


Nos últimos exames nacionais da OAB, o Maranhão vem ficando abaixo da média nacional no que diz respeito ao número de aprovações. Porém, uma mudança pode fazer com que o número de aprovados cresça no estado Na última terça-feira (01), uma alteração no Exame de Ordem permite que o candidato reprovado na segunda fase, a prática-profissional, aproveite a aprovação da primeira fase no exame da OAB foi sancionada pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Dessa forma, no exame seguinte o bacharel terá a chance de se utilizar dessa aprovação da primeira fase e fazer de novo somente a segunda. O Maranhão também será envolvido na mudança que já vale para o XII Exame que começa em dezembro.

A regra vale somente para o exame subsequente na qual o candidato foi reprovado, ou seja, se um candidato for reprovado no exame na qual o mesmo passou direto para a segunda fase, ele terá que voltar a realizar a 1ª etapa do exame na próxima tentativa. No ultimo exame da OAB no ano de 2012, a entidade divulgou que o Maranhão ficou na 15ª posição entre os 26 estados brasileiros com o aproveitamento de 14,2%.A média brasileira foi de 15%.

A mudança auxilia no que diz respeito ao foco dos candidatos na área do direito escolhida para a segunda etapa. O exame nacional da OAB é realizado três vezes por ano e são aplicadas duas provas em dias diferentes. A primeira prova é uma prova objetiva, com 80 questões de múltipla escolha, e a segunda é uma prova prático-profissional, que contém uma peça profissional e quatro questões. Atualmente a instituição responsável pelo exame é a Fundação Getúlio Vargas(FGV).

Segundo a coordenadora estadual do Exame de Ordem e estágio, Drª Ananda Farias, não é possível se fazer uma avaliação desta mudança neste momento. “Só o tempo irá responder. Só vamos poder fazer uma avaliação após a realização de alguns exames. É óbvio que a dificuldade da 1ª etapa é maior por envolver tudo o que foi estudado durante toda a faculdade e a OAB acredita que o candidato que passou na primeira etapa tem condições de passar na prova seguinte nesta mesma prova”.

Sobre o motivo das mudanças, a Drª Ananda destacou alguns importantes para que o Conselho Federal da OAB aprovasse esta solicitação proposta principalmente por candidatos ao exame.
“Foram inúmeras reclamações. Desde dificuldade da prova até curto período de tempo de uma etapa para outra.Acho que vai ajudar aos repetentes principalmente no que diz respeito ao tempo que eles terão para estudar para a segunda etapa; Mesmo assim é o dever da OAB de não colocar no mercado de trabalho pessoas despreparadas para exercer a profissão”, destacou.

Segunda Etapa

Na segunda etapa (prova prático-profissional), os bacharéis precisam responder quatro questões discursivas e redigir uma peça profissional na área do direito em que optaram no momento da inscrição: direito administrativo, direito civil, direito constitucional, direito empresarial, direito penal, direito do trabalho ou direito tributário e do seu correspondente direito processual.
A OAB também aprovou a alteração que permite que os estudantes do nono e décimo semestre prestem o exame. As mudanças já valem para o XII Exame de Ordem que começa em dezembro deste ano.

Aglaene Nobre, 23 anos e recém aprovada no exame da OAB do primeiro semestre de 2013 avaliou em dois pontos distintos a mudança no exame nacional.

“Acredito que a mudança será benéfica se levarmos em consideração que muitas vezes aquele que se submete ao exame da OAB não passa na segunda etapa por uma pequena margem de pontos e assim terá mais tempo para estudar a matéria específica da segunda etapa ao invés de ter que rever todas as matérias da primeira. Porém, acho que o número de aprovados deve crescer e a concorrência no mercado de trabalho deve aumentar”.

Quem segue pela mesma linha de pensamento é o recém-formado Luís Augusto Pereira Almeida Júnior que prestará o exame pela primeira vez este ano. Segundo ele, a mudança pode facilitar a aprovação tanto dos repetentes quanto daqueles que farão seu primeiro exame.

“Por muito tempo achei que a dificuldade do exame da OAB fosse para haver reserva de mercado. É uma prova lucrativa com, certeza, mas o fato do candidato que passou na primeira fase não passar na segunda e estar automaticamente na segunda fase do próximo exame é muito benéfica para os bachareis em direito porque fica o estudo na espécifica e na elaboração da peça. Vejo com bons olhos porque a empresa que gerencia as provas tem dificultado cada vez mais o nível e esse novo método dará mais possibilidades de obter êxito na possibilidade de engressar na advocacia”.

No XI Exame de Ordem, edição mais recente que ainda está em andamento, mais de 101 mil bacharéis em direito se inscreveram. Pouco mais de 19 mil passaram para a segunda fase. A prova da segunda fase será no dia 6 de outubro, com início às 13h (horário de Brasília).

Fonte: O Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário