sábado, 23 de novembro de 2013

Permanece o imbróglio sobre presidência do PT no Maranhão depois do PED ...

Foto: Raimundo Monteiro

Raimundo Monteiro comemorou a decisão da direção nacional e considera se não há segundo turno, ele automaticamente está reeleito.

A Secretaria Nacional de Organização do Partido dos Trabalhadores (Sorg) emitiu nota ontem confirmando que não seria realizada a eleição do segundo turno do Processo de Eleição Direta do PT maranhense (PED). Em Ofício enviado ao presidente da Comissão Eleitoral do Maranhão (COE), Ivaldo Coqueiro, o presidente da Sorg, Florisvaldo Souza, afirmou que a decisão sobre a realização do segundo turno será tomada pela Câmara de Recursos da Direção nacional do PT. Assim, neste domingo (24/11) será realizado segundo turno apenas para os diretórios municipais em que a disputa permanece. A decisão desmontou todo um esquema montado pelo candidato Henrique Sousa, que se preparava para uma possível disputa.

No ofício, Florisvaldo explica que o problema se deu na própria Comissão eleitoral maranhense, que atrasou o processo. Pelo regulamento do PED, a totalização deveria ser encaminhada à instância nacional até às 12h do dia 13 de novembro, o que não ocorreu no Maranhão.

“Por motivos que desconhecemos a COE do Maranhão adotou outro procedimento, atrasando desta forma a divulgação do resultado, que aconteceu na noite da véspera do feriado de 15 de novembro. Isto desorganizou o calendário para a realização do segundo turno no estado. Diante disso, entendemos que a realização do segundo turno no próximo dia 24 de novembro está prejudicada em função da forma como a Executiva Estadual conduziu o processo. Frente aos impasses existentes, a Câmara de Recursos do Diretório Nacional ou a Comissão Executiva Nacional avaliará o processo e definir como será concluído o PED no Maranhão”, informou.

A chapa de Henrique alega que o documento assinado somente por um membro da Sorg emite apenas a opinião deste e não tem validade em nome de toda a Comissão.

O presidente Raimundo Monteiro afirma que na prática, a eleição acaba com a determinação da Sorg. “Isto foi uma demonstração clara que não teremos segundo turno. Se o PT nacional ainda tivesse alguma dúvida, deixaria realizar o segundo turno e depois decidiria. O fato de ele não deixar realizar o segundo turno neste domingo, demonstra que a eleição acabou”, afirmou.

Sobre a acusação de que o Ofício da Sorg estava assinado apenas por um membro da Comissão, Monteiro afirmou que Florisvaldo é o presidente da comissão e quem comanda o processo eleitoral em todo o país, logo tem legitimidade para falar em nome da Sorg. Sobre a decisão da Executiva estadual de manter o segundo turno, Monteiro afirmou que “Isso tudo é para atrapalhar o PT. Muita gente que após o PED vai para o PSB está atrapalhando o PT. Por nós, o assunto já está encerrado e vamos caminhar com o PT pra frente”, argumentou.

O candidato Henrique disse que seria realizado o segundo turno, uma vez que o SisPED enviou as cédulas eleitorais com eleição para segundo turno estadual. "É apenas um membro da comissão que assina um documento e diz que não terá segundo turno. As cédulas estão prontas para ser realizado o segundo turno e vamos ter”, afirmou.

Ou seja, a turma de Henrique irá à urnas no domingo e contrariará a decisão da Secretaria de organização. Já a turma de Monteiro considera o resultado findado, uma vez que o Ofício não autoriza a realização das eleições. 

Vale lembrar que em muitos diretórios municipais haverá segundo turno, incluindo o de São Luís, onde Fernando Magalhães e Joab disputam a presidência da legenda na capital.

Do Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário