sexta-feira, 21 de março de 2014

Segundo ANP, Índice de adulteração em gasolina do MA é maior que o nacional

Segundo agência, índice no Estado é 0,5% maior que média no país.


Já o etanol apresentou diminuição de 0,9%.

Um boletim divulgado na última terça-feira (18), pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), mostrou que o índice de adulteração da gasolina comercializada no Maranhão ficou em 1,7%, 0,5% acima da média nacional. Em compensação, esse mesmo índice de adulteração do etanol caiu de 1,4% para 0,5%. Já em relação ao diesel, a ANP não divulgou o resultado referente ao Estado.

O levantamento foi realizado entre dezembro de 2013 e fevereiro deste ano e informa que as principais alterações na gasolina foram em relação ao ponto de destilação e ao teor de etanol anidro combustível.

De dezembro a fevereiro, foram coletadas 596 amostras de gasolina, sendo que dez apresentaram desconformidade com os padrões de qualidade. As adulterações foram identificadas em Açailândia, Santa Inês, Itapecuru Mirim, Itinga do Maranhão, Lago da Pedra, Imperatriz,Barra do Corda Grajaú e na região metropolitana de São Luís.

As análises foram coletadas pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em postos de combustível de 42 bairros de São Luís, e em mais de 90 municípios do interior.

Sobre o relatório da ANP, o SindCombustíveis disse que que os consumidores das cidades citadas no relatório da ANP - e de todas as outras independente de relatório - fiquem atentos e exijam o teste de qualidade do combustível antes de abastecerem seus veículos. Caso o posto se recuse a fazê-lo, o consumidor deverá denunciar o ocorrido  à ouvidoria da Agência.

Quanto ao aumento na incidência de inconformidade, o Sindicato lamenta e diz que não há justificativas, pois a entidade tem investido em campanhas de esclarecimento tanto de consumidor como de revendedor para a importância de comercializar/consumir produtos de qualidade. Outro fato é que as multas impostas para aqueles que adulteram são altíssimas, o que não representa benefício para o criminoso, já que adulterar combustível constitui crime.

Clique e veja o relatório da ANP.

Fonte: G1 MA

0 comentários:

Postar um comentário