quinta-feira, 27 de abril de 2017

Contra as reformas de temer os principais aeroportos do país param nesta sexta

Aeroviários de Guarulhos, Recife, Porto Alegre e os trabalhadores da base do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA) aprovaram em assembleias adesão à Greve Geral, confirmando que o País ficará paralisado nesta sexta-feira, 28, em protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência de Michel Temer; greve nos aeroportos deve iniciar a partir das 5h da manhã e envolverá funcionários nas empresas aéreas que atuam no check-in, auxiliar de serviços gerais, mecânicos de pista, despachantes de voo entre outros cargos; "É importante a unidade dos trabalhadores da aviação civil nesta greve geral do dia 28 de abril. Direitos históricos, que foram conquistados arduamente, estão ameaçados caso essas reformas sejam implementadas", diz o presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores em Avião Civil (Fentac), Sergio Dias.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) informou nesta quinta-feira, 27, que os aeroviários de Guarulhos, Recife, Porto Alegre e os da base do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA) aprovaram em assembleias e consultas aos turnos que vão aderir à Greve Geral que deve iniciar nos aeroportos de suas bases a partir das 5h da manhã desta sexta-feira.

Aeroviários são funcionários nas empresas aéreas que atuam no check-in, auxiliar de serviços gerais, mecânicos de pista, despachante de voo entre outros cargos.

Para o presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores em Avião Civil (Fentac), Sergio Dias, as categorias estão mobilizados em defesa de seus direitos. "É importante a unidade dos trabalhadores da aviação civil nesta greve geral do dia 28 de abril. Direitos históricos, que foram conquistados arduamente, estão ameaçados caso essas reformas sejam implementadas", alerta Dias.

Aeroportuários
O Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina) que representa os trabalhadores nas empresas que administram os Aeroportos (Infraero e Concessionárias privadas) também convocou a categoria a aderir ao movimento e orientou que cada aeroportuário converse com sua família para que fique em casa em protesto às reformas, que na realidade são um verdadeiro desmonte aos direitos que foram conquistados com muita luta, suor e sangue.

"Especialmente na categoria aeroportuária estão querendo tirar ainda mais. Sangue já tiraram. Suor já levaram. Agora, estão querendo tirar a alma do aeroportuário", frisa o presidente Francisco Lemos, em vídeo divulgado nas redes sociais.

Aeroporto Internacional de São Paulo (SP)
Total de trabalhadores: 9 mil
Adesão à paralisação nacional: 6h da manhã
Fonte: Sindigru
Aeroporto Internacional Gilberto Freyre (PE)
Total de aeroviários: 6 mil
Adesão à paralisação nacional: 6h da manhã
Fonte: Sindaero
Aeroporto Internacional Salgado Filho (POA)
Total de aeroviários: 3 mil
Adesão à paralisação nacional: 5h da manhã
Fonte: Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre
Aeroportos da base do Sindicato Nacional dos Aeroviários
Em todo o país, orientação do Sindicato é iniciar no turno da manhã
Fonte: SNA
Quem são os Aeroportuários (trabalhadores na Infraero e Concessionárias privadas que administram os aeroportos).
Aeroporto Internacional Gilberto Freyre
Adesão à paralisação: 600 aeroportuários

Do Brasil 247

0 comentários:

Postar um comentário