domingo, 23 de abril de 2017

Eduardo Guimarães: Defender Lula é defender a esquerda da sanha fascista

Não têm faltado ponderações de amigos e de adversários ideológicos/políticos no sentido de que abandonar Lula seria o “melhor caminho” em um momento em que o mundo desaba sobre a cabeça daquele que, pisoteado, escorraçado, difamado impiedosamente, sem trégua, estaria condenado, inapelavelmente, ao cadafalso político, ideológico, moral e físico.

Um amigo me diz que estaria na hora de “desmamar” de Lula. Outro, argumenta, quase como um favor ao alvo da sanha reacionária, que a hora seria propícia ao surgimento de “novas lideranças”…

Há pouco tempo, outro amigo disse que Lula, mesmo que não tenha recebido tríplex ou sítio, que não tenha sido aliciado de qualquer forma por donos de empreiteiras, não deveria ter se aproximado deles por tudo que representa.
E por aí vai.

Não existe, em parte alguma do mundo, um ex-presidente que não tenha estabelecido relações com empresários, grandes empresas, com todo tipo de instituições ao longo de seu mandato, sobretudo quando se trata de um mandato tão exitoso quanto o de Lula, quem, em 2010, deixou o poder quase como uma unanimidade nacional.

Não é racional cobrar dele o que jamais foi cobrado de qualquer outro ex-mandatário. E não é justo.

Até hoje Bill Clinton é celebrado e lucra sem parar com suas palestras, muitas delas com empresas que tiveram negócios com o governo norte-americano durante o seu mandato.

O modelo de Estado imposto pelo capitalismo encerra esse tipo de relação. Um ex-presidente tem direito a lucrar com seu sucesso como pessoa pública. Não se pode exigir de uma importante liderança política que obteve sucesso em suas administrações públicas que jamais obtenha lucro com as vitórias que obteve na vida.
Do Blog da Cidadania

O que exigem de Lula jamais foi exigido de outro ex-chefe de Estado e/ou de governo.

É hipocrisia, é canalhice. É autoritarismo. É, acima de tudo, discriminação. A “boa” e velha discriminação de que Lula sempre foi alvo por não ser “dotô”, por sua origem humilde, em parte, mas, principalmente, por ter ousado dar aos pobres e miseráveis o que a elite brasileira jamais aceitou: direito de sonhar, esperança, oportunidade.

Na verdade, a grande diferença entre Lula e os tucanos ou peemedebês reside no fato de que acusam Lula pela propina que teria recebido, não pelo crime que teria cometido.

Quando se fala de Alckmin e Serra, fala-se de roubalheira no metrô e no Rodoanel; quando se fala de Aécio, fala-se de roubo na construção da Cidade Administrativa; quando se fala de Lula, fala-se que ele recebeu um triplex e um sítio de propina.

Quem não enxerga a diferença não merece o trabalho de explicá-la.

Claro, Lula tem 72 anos, está sobre tremenda pressão, talvez sua saúde não resista a tanta selvageria, a tanto ódio. Que ser humano normal suportaria tudo que ele tem suportado? Lula é um gigante, mas, em algum momento, terá que abrir espaço, sim, para alguma nova liderança.

Mas o momento é este? O mundo e, em particular, o Brasil atravessam momento em que a extrema-direita se fortalece e vende à humanidade que é melhor abrir mão de direitos trabalhistas, de direitos civis, de programas sociais em prol de um capitalismo inclemente que considera as pessoas meras engrenagens de máquinas de fazer dinheiro para poucos.

Em termos de Brasil, à exceção de Lula não existe qualquer outra liderança política de esquerda capaz de enfrentar a extrema-direita e o ultracapitalismo que tentam implantar por aqui.

Em plena febre reacionária e ultracapitalista, é momento de “criar novas lideranças”?

Só Lula separa o Brasil das trevas ultrarreacionárias, da extrema-direita, do capitalismo inclemente, desumano, que nos quer transformar em robôs desalmados, em peças de uma máquina de fazer dinheiro para poucos.

Será tão difícil enxergar que os impérios de mídia e a “justiça” não estão perseguindo Lula por ele ser alguém que basta a esquerda querer que pode substituir? Querem destruí-lo porque, se conseguirem, destruirão a  esquerda brasileira. Para destruírem Lula acabaram com a economia. Farão qualquer coisa alcançar esse objetivo. Se Lula tombar, não sobrará nada da esquerda.

Toda essa guerra insana, todo o desmonte da economia brasileira, toda destruição do Estado Democrático de Direito por que passa o Brasil, tudo isso está sendo feito para destruir um único homem que virou símbolo de esperança dos desvalidos de um dia terem O-POR-TU-NI-DA-DE na vida.

A ditadura que se apossou do Brasil PRECISA destruir Lula para destruir a esquerda. Que não se enganem os esquerdistas que julgam que ele pode ser descartado que “novas lideranças” surgirão. Que tenham inteligência para entender que tudo que estão fazendo para destruir Lula é porque sabem que se ele for destruído, a esquerda também será.

Do Blog da Cidadania

0 comentários:

Postar um comentário