quinta-feira, 25 de maio de 2017

Preso filho de operador de propina de Sarney

Os desdobramentos da Operação Lava-Jato envolvendo o operador de propinas de José Sarney na Ferrovia Norte-Sul, o ex-presidente da Valec José Francisco das Neves, o Juquinha, chegou ao seu filho, Jader Ferreira das Neves; o Ministério Público Federal e a Polícia Federal expediram mandato de prisão preventiva em investigação focada no recebimento de propina nas obras da Norte-Sul.

 Juquinha é velho aliado e considerado um dos laranjas de José Sarney. De acordo com as delações de executivos da Odebrecht, o grupo do ex-presidente foi beneficiário de recebimento de propina da obra da Ferrovia-Norte Sul, realizada pela empreiteira; pessoas ligadas ao peemedebista teriam recebido cerca de 1% sobre o contrato.

Os desdobramentos da Operação Lava-Jato envolvendo o operador de propinas de José Sarney na Ferrovia Norte-Sul, o ex-presidente da Valec José Francisco das Neves, o Juquinha, chegou ao seu filho, Jader Ferreira das Neves. Nesta quinta-feira, 25, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal expediram mandato de prisão preventiva em investigação focada no recebimento de propina nas obras da Norte-Sul.

Juquinha é velho aliado e considerado um dos laranjas de José Sarney. De acordo com as delações de executivos da Odebrecht, o grupo do ex-presidente foi beneficiário de recebimento de propina da obra da Ferrovia-Norte Sul, realizada pela empreiteira. Pessoas ligadas ao oligarca teriam recebido cerca de 1% sobre o contrato. Outros 3% foram destinados ao grupo político do ex-deputado e ex-ministro dos Transportes Valdemar da Costa Neto, sob liderança de Juquinha.

O próprio Juquinha confessou, quando foi preso pela primeira vez em 2012, à Polícia Federal que o então senador Sarney o bancava junto ao ministro dos Transportes. Em diálogo gravado no dia 20 de outubro de 2011, Juquinha diz a um assessor da Valec ter recebido a informação de que não haveria mudanças no ministério pois “estão com medo de afrontar o chefão”, apontado pela PF como Sarney. “O povo não quer afrontar nosso amigo”, disse.

As ligações umbilicais entre Juquinha e Sarney em casos envolvendo a propina paga nas obras da Ferrovia Norte-Sul, que ultrapassam a casa dos bilhões em mais de 30 anos, deixam o oligarca temeroso a cada operação da Polícia Federal.
Cada vez mais a Lava-Jato se aproxima de Sarney

247/MA

0 comentários:

Postar um comentário