quinta-feira, 15 de junho de 2017

Há provas de que Miriam Leitão mentiu sobre “agressão” em voo da Avianca

Estão passando batidas as reclamações da jornalista Miriam Leitão sobre episódio ocorrido no voo 6327 da Avianca (Brasília – Rio de Janeiro/Santos-Dumont) em 3 de junho último. Ela acusou a companhia aérea de não ter “agido” contra pessoas que a teriam agredido durante o voo.

Miriam diz em seu artigo que sofreu “um ataque de violência verbal por parte de delegados do PT dentro de um voo” e que esse ataque teria tido “duas horas de gritos, xingamentos, palavras de ordem” contra ela e contra a TV Globo. Além disso, Miriam disse que foi “ameaçada”, teve seu nome “achincalhado” e foi acusada de ter defendido posições que não defende.

Uma passageira que estava no mesmo voo acusa a jornalista de ter mentido. Lúcia Capanema, professora de urbanismo da UFF – Universidade Federal do Rio de Janeiro, diz que os militantes do PT apenas gritaram palavras de ordem contra a Globo. E divulga um vídeo mostrando cânticos deles contra a emissora.
O advogado Rodrigo Montego, que também estava no mesmo voo da Avianca que Míriam Leitão, no dia 3 de junho, e a desmentiu em entrevista ao Portal Fórum, acaba de postar o mesmo vídeo que a professora de urbanismo supracitada.

A Avianca, por sua vez, postou uma nota oficial afirmando que adotou os procedimentos corretos, apesar das críticas de Miriam Leitão de que a empresa não reprimiu a manifestação contra si (na versão dela) ou contra a Globo (na versão dos militantes do PT).

Já a nova presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), emitiu nota em nome do partido solidarizando-se com a jornalista da Globo, mas dizendo que a emissora tem responsabilidade pelo clima de ódio que se formou no país.

O vídeo que você vai assistir a seguir cria uma bela dúvida: Miriam Leitão inventou a agressão? Assista e tire as suas conclusões:
Além disso, a “denúncia” da jornalista da Globo levanta uma pergunta muito importante: o que ela quer que se faça com quem critica a Globo publicamente? Que seja simplesmente repreendido? O que ela queria, que as pessoas que criticaram a emissora fossem impedidas de se manifestar?

Do Blog da Cidadania

0 comentários:

Postar um comentário