sábado, 18 de fevereiro de 2012

FICHA LIMPA ALTERA O CENÁRIO DAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES

A decisão dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa promete redesenhar o cenário político no Distrito Federal por, pelo menos, as duas próximas eleições. Vários políticos que, mesmo envolvidos em escândalos, se mantinham na vida pública, agora, estão impedidos de concorrer pelo prazo de oito anos, contado a partir das condenações ou do fim do mandato ao qual desertaram na tentativa de escapar da cassação. O ex-governador Joaquim Roriz (PSC) é um dos que serão afastados das urnas com a validade da Lei Complementar nº 135. Mas há outras figuras com expectativa de poder em Brasília que terão de colocar as barbas de molho até o cumprimento do castigo imposto aos políticos que, segundo a Justiça, têm a ficha suja.

O caso de Joaquim Roriz talvez seja o mais notável. Não apenas porque foi governador por 14 anos, tinha grande potencial eleitoral, mas especialmente porque não escondia o desejo de voltar às urnas em 2014. Com o julgamento da última quinta-feira, Roriz fica impedido de concorrer a qualquer cargo eletivo até 2023. O cálculo é feito com base no fim do mandato de senador (de 2007 a 2014), que ele abandonou para evitar a cassação. Quando cumprir o tempo exigido pela Lei da Ficha Limpa, Roriz terá quase 90 anos.

As circunstâncias apontam, portanto, que dificilmente Roriz voltará a disputar uma eleição, o que não tira o seu poder de influenciar nos próximos pleitos. Ao transferir mais de 30% dos votos para a mulher, Weslian, que nunca tinha concorrido a nenhum cargo, o ex-governador demonstrou que preserva importante patrimônio eleitoral. Entre seus herdeiros naturais estão as duas filhas, Jaqueline (deputada federal) e Liliane (distrital), além de Rogério Rosso, que governou o DF por nove meses. Embora naturalmente enfraquecido, uma possível indicação ou mesmo a decisão de não indicar ninguém poderá ajudar a definir os rumos da sucessão em 2014.

Com Informações do Correio Brasiliense

0 comentários:

Postar um comentário