segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Mesmo na crise MA tem saldo positivo de empregos pelo terceiro mês seguido


Na contramão da crise econômica, o Maranhão obteve o quarto melhor saldo de empregos da Região Nordeste e o quinto do país em agosto, com abertura de 2,2 mil novas vagas, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged); na última semana, o governador Flávio Dino assinou decretos que instituem os programas ‘Minha Casa, Meu Maranhão’, ‘Mutirão Rua Digna’ e ‘Mais Empregos’; a previsão é que os programas gerem 10 mil novos empregos.

Pelo terceiro mês consecutivo, o Maranhão figura com saldo positivo na geração de empregos. O estado obteve o quarto melhor saldo de empregos da Região Nordeste e o quinto do país em agosto de 2016, com abertura de 2,2 mil novas vagas. Os setores de serviços e indústria da transformação geraram mais vagas formais, com destaque para a capital, São Luís, que gerou mais contratações líquidas entre as capitais do país, com 1.867 novas vagas – com destaque para os subsetores de alojamento, limpeza, e alimentação, que geraram 1.645 novas vagas. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), órgão do Ministério do Trabalho e Emprego (MPE).

No interior do estado, o bom desempenho das atividades econômicas relacionados a produção de etanol segue contribuindo para a geração de emprego, em especial nos municípios Campestre do Maranhão, Coelho Neto e Aldeias Altas. A Indústria de transformação, concentrada principalmente na atividade fabricação de açúcar gerou 706 novas vagas no período.

O governador Flávio Dino agradeceu trabalhadores e empresários pelo bom desempenho do estado e destacou as ações do Governo para gerar mais oportunidade. “Enquanto nós estamos vivendo no Brasil um desemprego em massa, no Maranhão estamos colocando dinheiro público, por intermédio de incentivos fiscais, e mesmo a corte direto de recursos, para conseguir a geração de postos de trabalho para que, com isso, possamos combater os efeitos mais perversos dessa crise”.

Os resultados do Gaged no Maranhão mostram que as ações e programas governamentais que promovem o incentivo à geração de emprego e renda têm gerado resultados positivos. O estado segue na contramão da realidade do país que perdeu 40 mil vagas formais no mesmo período.

O Secretário de Estado da Indústria e Comércio, Simplício Araújo avaliou a importância das ações do Governo do Estado para a geração dos resultados obtidos pelo Maranhão no setor. Para ele, as ações de fomento às cadeias produtivas que a Secretaria de Industria e Comércio (Seinc) está realizando, a exemplo do “Mais Empresas”, “Mais Avicultura” e “ Maranhão Mais Produtivo”, possuem como premissa básica o incentivo à geração de emprego e renda.

“Desde o início da gestão do governador Flavio Dino, temos buscado desenvolver e incentivar as diversas cadeias produtivas e seus elos. Trabalhamos intensamente nos últimos tempos buscando solucionar gargalos existentes que atrapalhavam o desenvolvimento das empresas. Como resultado desses esforços conseguimos garantir o emprego da população, gerando o saldo positivo e consagrando o estado como o quinto do país na geração de empregos”, afirmou Simplício Araújo.

Programa ‘Mais Empregos’ reforçará saldo positivo
Na última semana, o governador Flávio Dino assinou decretos que instituem os programas ‘Minha Casa, Meu Maranhão’, ‘Mutirão Rua Digna’ e ‘Mais Empregos’.

Com os Programas, o Maranhão deverá gerar 10 mil novos empregos, sendo resultado de uma soma a outros esforços do governo, com investimentos de R$ 1 bilhão em obras públicas e parcerias institucionais com governo federal e prefeituras, para fomentar o desenvolvimento econômico por meio da geração de postos de trabalho e melhoria da renda das famílias.

O 'Mais Empregos' regulamenta um benefício de R$ 500 para as empresas por para cada emprego formal gerado. “Nosso objetivo é estimular, sobretudo, o setor de comércio e serviços para geração de empregos nesse momento até o limite de 4 mil empregos. São 4 mil vagas e um investimento de R$ 20 milhões”, realçou o governador, na quinta-feira (22).

O ‘Cheque Minha Casa’ é um crédito de R$ 5 mil que vai ser também disponibilizado para pessoas que tenham três anos de residência, no mínimo, e unidade familiar com pelo menos duas pessoas morando. Com o benefício o cidadão vai poder comprar material de construção e o comerciante usará o crédito para reduzir sua contribuição do ICMS a partir do valor recebido.

Com informações do 247

0 comentários:

Postar um comentário