quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Paraguai não irá mais 'ceder' energia ao Brasil, diz presidente


'Energia não é sequer vendida' a Brasil e Argentina, afirmou Franco.

Paraguai é sócio dos países nas hidrelétricas de Itaipu e Yacyretá. 

O presidente do Paraguai, Federico Franco, afirmou nesta quarta-feira (8) que o país não pretende continuar a "ceder" energia ao Brasil e à Argentina, países dos quais é sócio nas hidrelétricas de Itaipu e Yacyretá, respectivamente.
"Não estamos dispostos a seguir cedendo nossa energia. E prestem bem atenção que uso a palavra ceder. Porque o que estamos fazendo é ceder ao Brasil e à Argentina, nem sequer estamos vendendo", disse ele, de acordo com discuso publicado na página do governo paraguaio.

O Paraguai tem baixo consumo de energia, e vende aos sócios grande parte do que lhe cabe na produção das duas usinas. Franco, no entanto, diz querer estimular o uso da energia no próprio país.

"Devemos procurar trazer o que é nosso de Itaipu e Yacyretá, criar fontes de trabalho para evitar mais migrações. Para isso, a única alternativa é criar condições de segurança para poder industrializar o país", disse ele, que assumiu a presidência do Paraguai há pouco mais de um mês, substituindo o destituído Fernando Lugo.

Valor da energia
O governo Lugo conseguiu triplicar o valor pago pelo Brasil pela eletricidade de Itaipu. Um acordo também foi fechado para a construção de uma linha de transmissão entre Itaipu e Assunção, para que o país utilize mais da energia a que tem direito na usina.

Franco disse que este último projeto possibilitará a instalação de um maior número de indústrias, que igualmente deverão ser encorajadas por um preço mais conveniente de energia.

Pouco depois de assumir, o governo de Franco iniciou negociações com a multinacional Rio Tinto Alcan para a instalação de uma fábrica de alumínio, que foram paradas por divergências sobre o preço da energia elétrica que seria fixada. 

Fonte: G1
Reações:

Um comentário:

  1. BEM FEITO PRO BRASIL ! Agora vai dar um baita dum rolo. Imaginem nosso país sem a energia que o paraguai nos vende. Uma semana e já abriremos o bico.

    Na ânsia de botar o Chavez e sua (coitada) Venezuela no Mercosul, arrumaram uma desculpa de que o impeachment do Lugo foi isso e aquilo (sendo que respeitou a Constituição paraguaia) e suspenderam o Paraguai do Mercosul. CUTUCARAM A ONÇA COM VARA CURTA ! Agora, as consequências.
    Porque tratarmos mal um parceiro de longa data, com quem temos Itaipu, em partes iguais, e muitos interesses no país, como é o caso de muitos brasileiros que lá possuem e exploram terras.
    O Brasil está jogando o Paraguai no colo dos norte-americanos, a troco de quê ? De uma parceria com o maluco do Chavez ? Vide a parceria na refinaria Abreu e Lima, cuja grana venezuelana ainda não pingou e há incerteza se pingará. Caloteiro o Chavez !
    POIS BEM, e agora ? O Brasil vai invadir o Paraguai ? Acho que não. Primeiro porque nossas Forças Armadas estão tão sucateadas que poderiam levar uma surra dos hermanos paraguaios (brincaderinha); segundo, porque pegaria mal prá caramba.
    Resultado: o governo brasileiro vai acabar enfiando o rabo entre as pernas e pedindo desculpas ao governo paraguaio para reverter a decisão de não mais vender energia elétrica.
    Leonidas Arapaho - Florianópolis(SC)

    ResponderExcluir