quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

ARCEBISPO BRASILEIRO É PREFEITO DO VATICANO

O papa Bento XVI nomeou ontem o arcebispo de Brasília, d. João Braz de Aviz, como novo prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica - um dos nove principais órgãos, equivalentes a ministérios de governo, da Igreja Católica em Roma. 
 
D. João, de 63 anos, sucederá ao cardeal francês Franc Rodé, 76, que renunciou por ter atingido o limite de idade (75 anos) para permanecer no cargo.
A nomeação de d. João surpreendeu vaticanistas. Discreto e pouco conhecido fora do Brasil, d. João vai comandar a congregação encarregada de controlar todas as ordens religiosas (masculinas e femininas) e institutos seculares, ligados aos Institutos de Vida Consagrada. Também será a autoridade máxima a cuidar do regime, disciplina, estudos, bens, direitos e privilégios de todos os religiosos da Igreja Católica. Na prática, suas decisões vão afetar a rotina de 1,064 milhão de integrantes - padres, freiras e religiosos não sacerdotes - da Igreja em todo o mundo, além de milhares de membros de institutos de vida consagrada, homens e mulheres.
Com a nomeação - que praticamente lhe assegura, num futuro próximo, a promoção a cardeal - , d. João passa a ser o brasileiro a ocupar o mais alto posto da hierarquia da Igreja em Roma atualmente. Apenas três religiosos brasileiros foram nomeados anteriormente para a chefia de uma das congregações romanas: d. Agnelo Rossi (Congregação para Evangelização dos Povos, 1970-1984), d. Lucas Moreira Neves (Congregação para os Bispos, 1998-2000) e d. Cláudio Hummes (Congregação para o Clero, 2006-2010).
Vida religiosa. D. João Braz de Aviz é arcebispo de Brasília desde 2004. No ano passado, organizou o 16.º Congresso Eucarístico Nacional. Natural de Mafra (SC), d. João iniciou sua formação filosófica e religiosa no Seminário Maior Rainha dos Apóstolos, de Curitiba, e na Faculdade de Palmas (PR). Completou os estudos teológicos em Roma, na Pontifícia Universidade Gregoriana, e formou-se em Teologia Dogmática pela Pontifícia Universidade Lateranense, em 1992.
Ordenado padre da diocese de Apucarana (PR) em 1972, foi reitor do Seminário Maior de Apucarana e de Londrina e professor de Teologia Dogmática no Instituto Paulo VI, em Londrina. Foi também membro do Conselho Presbiteral e coordenador-geral da pastoral diocesana de Apucarana.
Nomeado bispo auxiliar da Arquidiocese de Vitória (ES) em 1994, foi também bispo de Ponta Grossa (PR) e arcebispo de Maringá (PR) antes de ser nomeado arcebispo de Brasília.
 O Estado de S.Paulo

0 comentários:

Postar um comentário