domingo, 1 de dezembro de 2013

A cidade de São Luís possui escolas públicas entre as piores do país, veja

Escola

Desempenho pífio para o Maranhão como um todo, mas especificamente para a cidade de São Luís que deve ter tido mais dinheiro para educação, em virtude, de ser a maior cidade do estado, vez que, o orçamento estadual de 2013 fora em torno de R$ 8,9 bilhões, afirma o secretário de educação, veja-se que é uma soma astronômica para pouco resultado. Para onde foi tudo isso? (acrescentou-se).

Veja que as 50 piores escolas do país estão no Maranhão, de acordo com a lista das médias das escolas brasileiras avaliadas no Enem 2012.

O Ministério da Educação (Mec), por meio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), divulgou a lista com as médias das escolas do país referentes ao desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2012. Um total de 11.245 instituições participou da avaliação, destas, 215 são maranhenses, sendo 115 públicas estaduais, 91 particulares e nove federais. A lista inclui escolas com o mínimo de 50% de participação dos concluintes do ensino médio, que fizeram as provas do exame ano passado. Fizeram as provas 2,2 milhões de alunos de 11.245 instituições, sendo dois milhões da rede pública.

A pior escola pública maranhense da lista foi a Ce Professora Leda Tajra - Anexo Jucara, de Buriti Bravo, com média 401.132 e participação de 50% dos alunos. Na capital, a pior foi o C.E.M Professora Dayse Galvão de Sousa, na Vila Embratel, que ficou na 27ª posição entre as escolas públicas de baixo desempenho com média 432.254 com participação de 51,50% dos alunos. A reportagem de O Imparcial foi à instituição, mas foi informada que ainda não há avaliação dos números, pois a instituição está com nova gestão e passa por reformas internas de metodologia e na estrutura.

Entre as 50 escolas públicas de baixo desempenho do Estado, 46 são do interior; entre as particulares, 47, segundo dados do Enem 2012.

Entre as privadas, a de menor média foi o Centro Educacional Monte Sinai, com 431,759 de média e 56% de participação estudantil.

Os números do Estado mostram que ainda há deficiências no ensino da rede escolar do Maranhão, se comparadas as pontuações entre o ensino privado e o público. As escolas dos interiores mostraram pior desempenho.. Mas, houve melhoras. A média das escolas maranhenses foi elevada de 478,75 em 2011, para 481,37 em 2012. E considerando a nota das provas objetivas, houve avanço de 7,5 pontos comparando os exames de 2011 e 2012. As escolas estaduais participantes passaram de 106 para 115 e o Estado subiu três posições no ranking nacional, segundo a Seduc com base nos resultados do MEC.

Já no ranking das 10 primeiras escolas maranhenses com melhor desempenho estão, além de São Luís, instituições de Caxias, Lago do Junco, Carolina, Bacabal e Imperatriz. O Maranhão também avançou na proficiência (desempenho em aprendizagem). Todas as escolas tiveram média acima de 400. Em 2011, cinco escolas estavam abaixo dessa média, sendo três entre as cinco com baixas pontuações no país.

Já em 2012, apenas uma escola maranhense ainda figura entre as 20 da federação com baixo desempenho. Analisando os resultados deste exame, o secretário de Estado de Educação (Seduc), Pedro Fernandes avalia que são positivos. “Melhoramos o desempenho, mas ainda precisamos avançar, pois o Maranhão vem demonstrando tendência de crescimento”, disse o secretário. 

Ele atribuiu o resultado ao esforço para elevar a qualidade do ensino envolvendo sociedade, parceiros e ações do Governo do Estado. “Vamos avançar ainda mais para uma educação pública de qualidade a todos”, afirmou Pedro Fernandes. Para 2014, o orçamento previsto é de R$ 9,1 bilhões e incremento de R$ 200 milhões a serem investidos em infraestrutura, aprendizagem, valorização profissional e formação continuada dos professores.

Do Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário