terça-feira, 19 de outubro de 2010

CAXIAS TERÁ DOUTORADO EM MEDICINA

Em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG), a Universidade Estadual do Maranhão (Uema), por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PPPG), vai instalar o Programa de Doutorado Interinstitucional (Dinter) no Centro de Estudos Superiores de Caxias (CESC). Poderão participar docentes dos cursos da área de saúde, como Medicina, Enfermagem e Biologia. Os interessados devem ficar atentos ao site www.uema.br, a fim de terem acesso à ficha de inscrição, disponibilizada de 25 de outubro a 8 de novembro.

Viabilizado por um grupo de professores dos cursos de Medicina e Biologia do CESC, o programa terá Caxias como centro operacional, onde irá ocorrer todo o curso, sob a coordenação da professora Valeria Pinheiro. No entanto, professores de outros campi, além de mestres da Universidade Federal do Maranhão (Ufma) e da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), podem participar da seleção.

Essas universidades primam pela pesquisa no campo de Medicina Tropical, já que este é um campo que ainda pode crescer muito no que concerne à pesquisa e envolve estudos amplos das doenças infecciosas e parasitárias nos aspectos clínico, diagnóstico, epidemiologia e biológico.

Além de ampliar a rede de professores com habilidade para desenvolver projetos de pesquisa em doenças infecciosas e agravos relevantes na área de saúde pública, o curso vai estimular a criação de núcleo de pesquisa em áreas básicas e aplicadas de doenças infecciosas “Esta é mais uma ação que visa a capacitação dos docentes da Uema, de modo que se implantem novos programas de pós-graduação no menor tempo possível para aprimorar cada vez mais nossos professores”, explicou o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Walter Canales Sant’Ana De acordo com Valeria Cristina, professora do CESC e coordenadora do Dinter, o programa irá contribuir para minimizar as disparidades regionais na oferta de cursos para capacitação de recursos humanos para atuarem na pesquisa e na docência do ensino superior “A formação de massa crítica na área de Medicina Tropical em centros do continente, distantes dos centros de referência em ensino e pesquisa nacionais poderá trazer impacto positivo para formar e fortalecer grupos de pesquisa capacitados para investigarem problemas regionais e proporem recomendações e ações para reduzir estes problemas”, informou Valeria CristinaMais informações com a Coordenadora Operacional, Valéria Pinheiro no email: dinter.mtropical@gmail.com; ou na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Uema, na PPG da Ufma com a Professora Teresa Cristina e na Uespi em Teresina, com o professor José Adail.

Central de Notícias

Com informações do Ascom

0 comentários:

Postar um comentário