segunda-feira, 29 de outubro de 2018

LAVA JATO AJUDOU BOLSONARO, MAS HADDAD "SAIU MAIOR", DIZ KENNEDY ALENCAR

O candidato do PT Fernando Haddad perdeu a eleição, mas "saiu maior" da disputa do que entrou, avaliou o jornalista Kennedy Alencar na noite de domingo (28), quando o professor universitário perdeu a eleição para o deputado de extrema direita Jair Bolsonaro (PSL), por 55% a 44%. No texto, Kennedy lembrou do papel da Lava Jato no pleito.
Na visão de Alencar, a "Lava Jato abriu caminho para a eleição de Jair Bolsonaro. Embora tenha revelado um enorme esquema de corrupção, a Lava Jato destruiu a classe política tradicional e permitiu que o candidato do PSL se apresentasse como uma novidade contrária ao status quo. Ocorreu no Brasil um efeito semelhante ao vivido pela Itália após a Operação Mãos Limpas." 
Bolsonaro "se elegeu às custas de representar ruptura, mas faz parte do sistema. Terá dificuldade para entregar o que prometeu. O presidente eleito não deixou claro o que pretende fazer com o país em seus primeiros discursos pós-vitória. Houve menções genéricas sobre medidas políticas e econômicas. Tampouco Bolsonaro fez aceno para seus opositores." 
Kennedy lembrou que "Haddad, que saiu da eleição maior do que entrou, também falou apenas para os seus eleitores. Faltou gesto para o conjunto do país e para o próprio Bolsonaro. No entanto, foi importante o petista pedir aos seus eleitores que não tivessem medo, colocando-se como líder de fatia importante da sociedade." 
Comentando o papel da Justiça Eleitoral, o jornalista destacou que a Corte foi quem impôs ao Brasil "uma das maiores derrotadas da eleição". "Fez bravatas contra fake news no começo do ano e foi engolida por avalanche de mentiras. É herança negativa para futuras eleições que demanda enfrentamento."
GGN

0 comentários:

Postar um comentário