domingo, 31 de março de 2019

FANTASMAS HABITAM CASAS EM RUÍNAS, NÃO AS EM CONSTRUÇÃO. POR FERNANDO BRITO

Por que tornaram este 55° aniversário do golpe de 1964 uma espécie de sessão de invocação dos fantasmas do autoritarismo?
Isso só acontece porque nosso país perdeu o sentido de ser uma obra em construção, com planos, projetos e sonhos.
Passou a ser, ao contrário, um lugar a ser desmontado, desconstruído, demolido, como uma casa assombrada de onde provêm o mal, a tristeza, a pobreza, a danação.
Como vamos perdendo, todos os dias, o sentido do futuro, os mais fracos, os mais limitados e os mais conformados vão buscar refúgio num passado que, nem foi tão suave quanto a memória o filtrou, nem é possível reeditar nos tempos presentes e a vir.
Então, vive-se  a louvar um Brasil  imaginário, um lugar que não existiu senão nesta memória edulcorada.
Um país sem violência, sem corrupção, dos “noventa milhões em ação” da Copa de 1970, o país “prá frente” que empurrava para os morros e para periferia os pobres de sua riqueza e para as covas anônimas os cadáveres de sua paz.
Mas por que, então, dedicam-se a invocar estes tempos?
Porque não podem deixar que nos lembremos de outro, muito mais recente, em que este país não era esta obra em ruínas, mas uma casa que se erguia, decerto que com defeitos e precariedades, para abrigar não alguns, mas a todos, ainda que à maioria muito, muito modestamente.
Um casa que estava ficando grande porque já não queria mais colocar os pobres na senzala, porque ia se ajeitando no convívio de alhos com bugalhos, que ia abrindo as portas antes fechadas pela exclusão.
Eles não chamam os fantasmas para trazer o passado de volta, chamam-nos para impedir que venha o futuro.
Tijolaço
COMENTÁRIOS
  • RitaCandeu - #AnulaGolpeJá • 
  •  eu ando sentindo uma tristeza tão grande li esse texto chorando!
  • a que ponto que chegamos, por causa de vários erros e omissões
Bolsonaro nunca escondeu quem era, fez e falou barbaridades por 30 anos, e ninguém foi capaz de parar a loucura desse traste, e agora estamos nas mãos de gente pior que ele que tomaram o poder "democraticamente" como seus seguidores adoram falar.
Politicos se calaram, judiciário se clou, midia fez de conta de que não viu nem ouviu, o povo elegeu a mamadeirta de piroca e seguimos ladeira abaixo
O judiciário fez pior do que se calar. Seus juízes, desembargadores e ministros foram coniventes, cúmplices e partícipes. Lembra que era "com o Supremo, com tudo". A mídia venal, mentirosa e cínica foi decisiva para que essa tragédia sobreviesse. Tudo orquestrado lá fora, em conluio com a elite mais mesquinha, sórdida, autoritária e escravagista, para a qual democracia é um adereço que se retira quando não convém mais aos seus interesses.
E pensar que, há menos de cinco anos, realizamos os dois maiores eventos do mundo em sequência de dois anos, como nenhum outro país havia feito. 
Sem esquecer que metade do país, já enlouquecida, recebeu isto com ódio.
A mídia brasileira (brasileira ???) destruiu o país.
Bom texto, com um final melhor ainda... muito bem conduzido, com a boa escrita costumeira, de sempre. Mas, para hoje, eu estava esperando algo ainda melhor, talvez mais contundente, mais instigante, percuciente. Vai deixar para amanhã ? Quiçá 1º de abril seja mesmo mais apropriado...
excelente a conclusão. Tanto a Casa Grande daqui quanto os imperialistas lá fora não querem nosso desenvolvimento.

Corretíssimo sua reflexão Brito, o próprio Bolsonaro já declarou temos que desconstruir o país, querem apagar a todo custo que temos capacidade de avançar, Lula mostrou muito esse caminho!

0 comentários:

Postar um comentário