sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

COM AUMENTO NO NÚMERO DE CASOS, BOLSONARO E DORIA SE ATACAM

Enquanto o Brasil ultrapassa os 200 mil mortos por Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro e o governador João Doria discutem e se atacam.

Enquanto o Brasil ultrapassa os 200 mil mortos por Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro e o governador João Doria discutem e se atacam. Nesta sexta (15), o governador chamou Bolsonaro de “facínora” e o presidente retrucou, dizendo que “homem ele não é”.

A declaração de Doria foi dada à tarde, em São Paulo, em encontro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP), candidato à Presidência da Casa.

“Um governo sem rumo, sem plano, sem meta e, principalmente, sem coração. Será que o Brasil, que já se mobilizou nas ruas pela mudança das Diretas Já, outros movimentos cívicos importantes, vai continuar e não vai reagir?”, questionou.

“Ele quer jogar a responsabilidade para cima de mim? Será que ele tem coragem, que homem ele não é, nós sabemos que esse pilantra não é homem”, foi a resposta do presidente da República, ao programa Brasil Urgente, da TV Band.

E disse que Doria “está morto politicamente”.

“Com palavras de baixo calão, como esse governador está falando, me chamando de facínora, isso é coisa de irresponsável. É um cara que tá morto politicamente em São Paulo. Ele não sai na rua em São Paulo. Não vai na padaria comprar um pão, não vai na praia. Não tem mais prestigio para absolutamente nada. Agora está em um desespero para me atingir.”

Do GGN

0 comentários:

Postar um comentário