domingo, 31 de maio de 2020

UM ASNO A CAVALO EM DISPARADA E A LOCKED DE CELSO DE MELLO, POR FERNANDO BRITO

Jair Bolsonaro deu hoje mais um passo para o golpe.

Talvez, porém, um passo em falso, porque está evidente que Bolsonaro está provocando o confronto, bem simbolizado na entrada a cavalo na Praça dos Três Poderes.

É evidente para todos que Bolsonaro tem consigo uma minoria. Expressiva, aguerrida, fanática, mas ainda assim uma minoria.

Contra ele, uma oposição que, até aqui, vinha tímida, clara e que, neste final de semana , colocou a cara com vários movimentos.

Que, nos dois últimos dias, se excitou com as imensas manifestações antirracistas nos Estados Unidos e acabou mostrando que, mesmo em meio à pandemia, a rua é o único lugar da política.

Preparem-se porque, em poucos dias, elas voltarão, mesmo com a flagrante opção da polícia – bolsonaristíssima – de reprimir as manifestações antigoverno, enquanto organiza e apoia as marchas fascistas, sem que elas tenham – ainda- nenhum .

De seu lado, a conversa fiada de Bolsonaro de dar “passos atrás”, se ainda convencia alguém, mostrou-se totalmente mentirosa.

Ele quer o confronto violento e, ao que parece, o terá.

Não adianta que Bolsonaro avance a cavalo seguido por sua tropa de zumbis, haverá resistência, e crescente.

A declaração do decano do STF, Celso de Mello, indica que será feita em nome da Justiça, com toda a legitimação que isso traz.

Sem meias palavras quanto à natureza nazista do que estamos vivendo:

“Guardadas as devidas proporções, o ‘ovo da serpente’, à semelhança do que ocorreu na República de Weimar (1919-1933) parece estar prestes a eclodir no Brasil”, diz ele. “É preciso resistir à destruição da ordem democrática, para evitar o que ocorreu na República de Weimar quando Hitler, após eleito pelo voto popular e posteriormente nomeado pelo presidente Paul von Hindenburg como chanceler da Alemanha, não hesitou em romper e em nulificar a progressista, democrática e inovadora Constituição de Weimar, impondo ao país um sistema totalitário de Poder”

É disso que se trata: da implantação de uma ditadura nazista.

Em plena epidemia, não demora que as ruas se encham.

Até agora, era apenas a legião de zumbis.

Não será mais ela, apenas.

Do Tijolaço

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário