quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

CARNAVAL CHEGA COM NÚMEROS RECORDES NA COVID, POR FERNANDO BRITO

1.350 mortes ontem e, hoje, provavelmente, um número de óbitos igual ou maior, porque os números de oito estados disponíveis até agora – São Paulo, Paraná, Ceará,, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Tocantins – já somam 794 vítimas da Covid 19 nas últimas 24 horas.

Portanto, o resultado a ser divulgado ao final do dia tem perspectivas sombrias, talvez até um recorde de fatalidades desde o início da pandemia.

Contraditoriamente, há uma sensação de que “o pior já passou’ e estamos todos conformados com que as cenas de aglomeração humana vão se repetir no Carnaval, como algo inevitável.

Afinal, a vacina está aí e aceitamos que, num país capaz de vacinar 80 milhões de idosos em três meses nas campanhas da gripe, esteja tudo bem em, com 20 dias, apenas 4 milhões tenham recebido o imunizante: 2% da população, pouco mais de 1% do número de doses necessárias à dupla aplicação que será necessária.

Ficamos todos, porém, compreensivelmente emocionados com as cenas, de fato emocionantes, de velhinhos de 95, 98, 100 anos sendo vacinados, o que tocante e positivo, mas está longe de representar um processo de imunidade coletiva.

Finalmente, temos de reconhecer que prevaleceu a posição estúpida de Jair Bolsonaro, de que só os idosos e doentes devem ficar isolados e que os demais devem circular, trabalhar e até passear como ele faz a toda hora e, certamente, fará no Carnaval que só não vai existir oficialmente.

Tijolaço.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário