quarta-feira, 3 de março de 2021

SÃO 1.910 MORTES, ADMITE MINISTÉRIO. ATÉ ONDE VAMOS?, POR FERNANDO BRITO

Se havia alguém ainda em dúvida sobre a total perda de controle da pandemia de Covid 19, é bom que elas terminem hoje, quando os números oficiais, retirados da página do Ministério da Saúde, registram que estamos muito próximos de atingir a a marca das duas mil mortes diárias.

Foram 1.910 nas últimas 24 horas e, pior ainda, mais de 71 mil casos confirmados, o que, claro, é uma espécie de “estoque de mortes contratadas para os próximos dias”.

É bom o senhor Jair Bolsonaro conter seus furores de ir à televisão dizer, como disse hoje,

Jair Bolsonaro, ao passar pelo “chiqueirinho” onde se concentram seus apoiadores, na porta do Palácio da Alvorada, que somos um dos melhores países do mundo em desempenho contra a pandemia.

Para ele, não há a maior crise sanitária da história brasileira, tudo o é produto do “pânico” criado pela imprensa: “Criaram pânico, né? O problema está aí, lamentamos. Mas você não pode entrar em pânico. Que nem a política, de novo, de ‘fique em casa’. O pessoal vai morrer de fome, de depressão?”

As 1.910 pessoas que morreram ontem e as 260 mil que tombaram em um ano não morreram de fome ou depressão, embora fome e depressão não faltem num país empobrecido e desesperado como o nosso.

Morreram e morram da Covid que ele, criminosamente, ajuda a espalhar.

Tijolaço.

0 comentários:

Postar um comentário