sexta-feira, 3 de julho de 2020

PT DENUNCIA DALLAGNOL E LAVA JATO NA PGR POR ACORDO ILEGAL COM FBI

Partido acusa o coordenador da Lava Jato de cometer crimes de prevaricação, abuso de autoridade e condescendência criminosa com a cooperação ilegal com os Estados Unidos.
Coordenador da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol foi alertado sobre ilegalidade da cooperação com com agentes do FBI, mas optou por agir fora da lei.
O PT anunciou hoje (3) que entrou com representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) com três pedidos de investigação contra o coordenador da Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol, e o grupo de procuradores da operação em Curitiba. No documento, o partido denuncia acordo de cooperação ilegal firmado entre a força-tarefa da Lava Jato e o FBI, a Polícia Federal dos Estados Unidos. A parceria foi revelada em reportagens da Agência Pública, em parceria com o The Intercept.
Os advogados do PT Eugênio Aragão e Ângelo Ferraro afirmam que a Lava Jato atuou na ilegalidade, desrespeitando a autoridade central do Ministério da Justiça, para promover uma persecução penal direcionada e criminosa contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A ação acusa Dallagnol pelos crimes de prevaricação, abuso de autoridade e condescendência criminosa. Também foi apresentada ação civil em primeira instância e representação pedindo instauração de processo ético e disciplinar no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).
A ação é movida pela presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR). “Desmascarados e desmoralizados, os procuradores e o ex-juiz Sérgio Moro terão de enfrentar a Justiça”, afirmou Gleisi, em nota.
No mesmo comunicado, Aragão disse que a atuação dos procuradores de Curitiba mostram que a Lava Jato atuava na ilegalidade absoluta e fora de controle. “Ao compartilhar informações de modo extraoficial com agentes americanos do FBI, a força-tarefa desrespeitou a soberania nacional e utiliza, de forma ilegal, dados sigilosos de empresas brasileiras”, criticou.
A reportagem produzida pelo Intercept e veiculada pela Agência Pública indica que agentes do FBI teriam atuado em investigações realizadas no território nacional pela Lava Jato. O suposto intercâmbio entre os procuradores e os agentes americanos é um escândalo e é alvo da denúncia do PT ao procurador-geral, Augusto Aras. Aragão diz que o acordo da Lava Jato com o FBI fere a soberania nacional e as instituições.
Segundo o partido, a atuação da força-tarefa foi “absolutamente ilegal, desrespeitando a autoridade central do Ministério da Justiça, para promover uma persecução penal direcionada e criminosa”. Essa movimentação ocorre em meio a trocas de acusações entre a PGR e os procuradores da Lava Jato de Curitiba que têm ocorrido nos últimos dias, além da reportagem do Intercept Brasil em parceria com a Pública.
Da RBA
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário