segunda-feira, 20 de julho de 2020

MORO FOI O “GARANTIDOR DOS MÉTODOS OCULTOS” NA COOPERAÇÃO ENTRE LAVA JATO E EUA


Ao longo do caso triplex, Moro taxou inúmeras vezes de "teoria da conspiração" as suspeitas de que a cooperação estava ocorrendo sem o devido acompanhamento da autoridade central brasileira, ou seja, à revelia da lei.
Foto: Agência Brasil
A defesa de Lula endereçou ao Superior Tribunal de Justiça nesta segunda (20) um mandado de segurança com 89 páginas, onde o ex-juiz Sergio Moro é acusado de “garantir dos métodos ocultos” praticados na “cooperação selvagem” entre a Lava Jato em Curitiba e as autoridades dos Estados Unidos.
Ao longo do caso triplex, Moro taxou inúmeras vezes de “teoria da conspiração” as suspeitas de que a cooperação estava ocorrendo sem o devido acompanhamento da autoridade central brasileira, ou seja, à revelia da lei.
Com essa desculpa, Moro impedia que os réus delatores da Lava Jato revelassem, durante as audiências, informações que pudessem desnudar a atuação ou os interesses dos Estados Unidos. Por tabela, também protegeu o colaboracionismo dos procuradores liderados por Deltan Dallagnol.
No documento enviado ao STJ, a defesa de Lula lembrou dos depoimentos censurados por Moro e elencou o nome de vários réus delatores que foram impedidos pelo ex-juiz de responder às questões envolvendo a cooperação internacional.
Entre eles, Augusto Mendonça, Eduardo Leite, Pedro Barusco, Nestor Cerveró, Alberto Youssef, Milton Pascowitch, Fernando Soares, Paulo Roberto Costa, Delcídio do Amaral e Dalton Avancini.
Em um dos casos, Paulo Roberto Costa chegou confirmar que existia o acordo entre ele e os Estados Unidos, firmado no Brasil, “o que induz a crer que tais registros foram comunicados e estão sob o domínio do DRCI [Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional]” do Ministério da Justiça.
A defesa de Lula pediu acesso às informações sobre cooperação internacional na Lava Jato à Pasta, que negou. Por isso, recorrerem agora ao STJ.
Na peça, os advogados dizem que, hoje, com as mensagens da Vaza Jato, está mais que provado que as suspeitam jamais se trataram de “teorias da conspiração”.
Do GGN
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário